Os 30 anos do Jornal da Batalha

Jornais. Revestem os quiosques de notícias; transportam-se debaixo do braço; acompanham o café. Cobrem a atualidade da sociedade, da economia, da c...

O futuro muda todas as vezes que nos voltamos ou olhamos na sua direção

Há 30 anos estava e vivia na Batalha. Contudo, devido à minha actividade profissional, de gestor de empresas, consultor e auditor externo do DAFS e...

A importância de uma rede social eficaz

Onde estava e o que fazia há 30 anos? Esta edição do Jornal da Batalha assinala mais um aniversário. O Jornal da Batalha nasceu há 30 anos, exat...

O trabalho terá sempre um valor central

Onde estava e o que fazia há 30 anos? Em 1990, casado e com dois filhos vivia na Batalha e trabalhava em Leiria no meu local de trabalho de semp...

Celebrar o Padre António Vieira e recordar as nossas Caravelas

Neste tempo estranho e inesperado, que estamos a viver, dois factos, entre vários, chamaram-me particularmente a atenção e despertaram-me para a ne...

2020 - O ano da mudança

2020 é um ano que perdurará na nossa memória. Foi no início deste ano que a pandemia que nos assola atualmente começou a dar os primeiros sinais de...

Pandemia ditará o futuro próximo

Os últimos 30 anos foram uma época de enormes mudanças, tanto no mundo como, em particular, na nossa região. A minha expetativa para os próximos an...

A arte de não fazer nada

Hoje dormi 12 horas. Foi com um olhar espantado que visualizei as 12h45 no ecrã do telemóvel quando consegui abri os olhos o suficiente para ver o ...

Novas tecnologias e a robótica irão marcar os próximos anos

Onde estava e o que fazia há 30 anos? Estava na freguesia da Batalha, trabalhava numa empresa de máquinas agrícolas. Hoje trabalho como serralhe...

Continuar a apoiar o associativismo sem procurar mediatismo

Onde estava e o que fazia há 30 anos? Há 30 anos, residia na casa dos meus pais no Reguengo do Fetal e encontrava-me a estudar no Agrupamento de...

Amália, a voz de Portugal

Se olharmos para o fado sem preconceitos, como sendo a canção portuguesa por excelência, então teremos de considerar Amália Rodrigues o seu expoent...

Trinta anos de liberdade para criar

O Jornal que agora completa trinta anos de existência sempre me acompanhou, não fosse eu um ano mais novo que este periódico. Lembro-me de olhar pa...

Desconfinamento ou regresso a normalidade

Muitos pensaram que a partir de 1 de junho, com muitos cuidados, nos aproximaríamos da normalidade das nossas vidas, quer em termos profissionais, ...

Como enganar um bando de corvos

  Vivemos momento atípicos, andamos de cara tapada, o que me faz alguma confusão, e o distanciamento social persiste, o que aumenta o sentimento...

Ainda os nomes e origens dos Mestres Batalhinos

  Boytac, depois aportuguesado para Boitaca ou Boutaca, não se sabe ainda qual era a sua nacionalidade embora seja credível a possibilidade de s...