Limitação extraordinária de pagamentos por conta

A Assembleia da República aprovou, a Lei n.º 27-A/2020, de 24/7 que procede à alteração de diversos diplomas, nomeadamente o seguinte: Limitação ex...

De novo o Padre António Vieira

A ignomínia do acto que vandalizou a estátua do Padre António Vieira, a maior figura do Portugal seiscentista e uma das maiores da História da Huma...

Quem vier cá a casa leva sempre algo no regaço

O mês de agosto é para os hortelãos o mês da abundância, é época em que quem vier cá a casa leva sempre algo no regaço, porque a natureza é generos...

IVA da eletricidade baixa para a taxa intermédia de 13%

IVA da eletricidade baixa para a taxa intermédia (13%) em dezembro de 2020. Serão aplicadas taxas de IVA diferenciadas em função de escalões de con...

Continuar a apoiar o associativismo sem procurar mediatismo

Onde estava e o que fazia há 30 anos? Há 30 anos, residia na casa dos meus pais no Reguengo do Fetal e encontrava-me a estudar no Agrupamento de...

A importância de uma rede social eficaz

Onde estava e o que fazia há 30 anos? Esta edição do Jornal da Batalha assinala mais um aniversário. O Jornal da Batalha nasceu há 30 anos, exat...

Trinta anos de liberdade para criar

O Jornal que agora completa trinta anos de existência sempre me acompanhou, não fosse eu um ano mais novo que este periódico. Lembro-me de olhar pa...

Celebrar o Padre António Vieira e recordar as nossas Caravelas

Neste tempo estranho e inesperado, que estamos a viver, dois factos, entre vários, chamaram-me particularmente a atenção e despertaram-me para a ne...

O que quebra um vime, não quebra um feixe

Quanto tempo tem 30 anos. A resposta é impossível. As nossas experiências, a maneira como as vivemos e a forma como as ordenamos na gaveta da impor...

A Batalha nos 30 anos de existência do “JB”

A propósito do 30º aniversário do “Jornal da Batalha” e para comemorar a efeméride, desafiou-nos o seu Diretor, Dr. Carlos Ferreira, a escrevermos ...

A arte de não fazer nada

Hoje dormi 12 horas. Foi com um olhar espantado que visualizei as 12h45 no ecrã do telemóvel quando consegui abri os olhos o suficiente para ver o ...

30 anos

No que respeita à gestão municipal foram anos de muito investimento em infraestruturas, procurando-se aproveitar bem os fundos comunitários e colma...

O futuro muda todas as vezes que nos voltamos ou olhamos na sua direção

Há 30 anos estava e vivia na Batalha. Contudo, devido à minha actividade profissional, de gestor de empresas, consultor e auditor externo do DAFS e...

Amália, a voz de Portugal

Se olharmos para o fado sem preconceitos, como sendo a canção portuguesa por excelência, então teremos de considerar Amália Rodrigues o seu expoent...

O trabalho terá sempre um valor central

Onde estava e o que fazia há 30 anos? Em 1990, casado e com dois filhos vivia na Batalha e trabalhava em Leiria no meu local de trabalho de semp...