Uma mão cheia de nada!

Muitos dos nossos combatentes têm abordado o núcleo, solicitando explicações acerca do publicado, nas páginas 20 e 21, na revista do combatente, ed...

Depois de quase meio século do 25 de Abril de 74

Decorrido praticamente um quarto do século XXI e poucos dias após se ter comemorado mais um aniversário do 25 de Abril de 74 o senhor presidente fe...

Regresso ao futuro pela batuta de Álvaro Cassuto

Há alguns meses, no nosso artigo intitulado Sinfonia à Pátria, prometemos escrever sobre Álvaro Cassuto. Pois bem, olhemos agora para este importan...

Uma Matriz comum a católicos e ortodoxos

É um facto a assinalar com júbilo e um acto a merecer os maiores louvores a cedência, pelas nossas Diocese e Paróquia, da Igreja Matriz batalhense ...

Não as mande às urtigas... aproveite-as

Se ainda não semeou as suas plantações para colher no verão, é melhor fazê-lo agora. As minhas sementeiras atrasaram-se este ano e optei por adquir...

Trabalhar na coffee-shop?

Enquanto procuro emprego outra vez, encontro o Bill, que encontram no artigo “Como chegar aos 100?” ou, do outro lado da rua desse hostel onde eu t...

Os combatentes – esses velhos caquéticos

Chegou-nos ao conhecimento haver por aí alguém que, referindo-se aos Combatentes, terá desabafado algo do género: “Esses combatentes não passam de ...

Elégias do tabelião

Hoje vi algo assombroso, assaz, aterrador e mordaz. Um ato tão diferente e maledicente, que ninguém se lembraria de o fazer. Depois de o contar, es...

Aproxima-se o verão

Aproxima-se mais um verão e os receios da seca já começaram, com fundamento, atendendo ao nível de pluviosidade verificado nos períodos normais, no...

A lua é minha amiga

Um dia olhei pela minha janela. Eram 6 da tarde. A lua, como sol, surgindo por de trás da verticalidade da cidade, descreveu uma trajetória na hori...

O museu dos sentidos. Ver

Temos vindo a apresentar, nesta coluna, alguns dos recursos existentes na exposição do MCCB pensados para todos, incluindo as pessoas com alguma in...

História deturpada e vilipendiada

Nos “Apontamentos” deste mês tive de voltar a um tema que é caro, ou que devia ser, a todos os Portugueses. E voltei porque os nossos Descobrimento...

Como agir numa emergência

Ao contrário de emergências em locais que conhecemos bem, como as nossas casas ou os locais de trabalho, nos espaços públicos o desconhecimento do ...

Regime contributivo dos independentes

Com a entrada em vigor do novo regime, janeiro de 2019, deixa de haver escalões de remuneração. O rendimento relevante passa a ser determinado atra...

O segredo

Muitas vezes perguntam-me qual é o segredo. A mim e ao ‘mister’ que me acompanha há 7 anos, desde os meus 15. Porque as relações dos jovens de hoj...