Valorlis em campanha de inclusão para aumentar a reciclagem

A Environment Global Facilities (EGF) e as suas 11 concessionárias – entre as quais a Valorlis, que atua no Concelho da Batalha - “estão a desenvolver um movimento de mudança de comportamentos ambientais”, destacando que “Não é só uma campanha, é um movimento coletivo e inclusivo”.

Entre as várias ações planeadas está a reorganização dos ecopontos, por forma a promover a reciclagem junto dos cidadãos com limitações. Os mais de 78.300 ecopontos de norte a sul do país terão uma nova ordem - azul, verde e amarelo, ajudando assim aqueles que tiverem limitações visuais. Esta ação deverá estar concluída em fevereiro de 2021.

A solução é simples, basta ordenar os contentores dos ecopontos sempre da mesma forma, da esquerda para a direita – azul, verde e amarelo. Desta forma os cidadãos cegos ou com limitações visuais saberão sempre qual o contentor para cada tipo de material.

“Com esta ação, não só queremos ter mais cidadãos a reciclar, como queremos que reciclem melhor e para isso temos de ser cada vez mais inclusivos.

“A campanha - “O futuro do planeta não é reciclável” - é mais do que um filme publicitário, este é o maior movimento de sensibilização que alguma vez foi feito, porque juntos poderemos ser o motor de uma mudança necessária e urgente”, afirma o presidente da EGF, Emídio Pinheiro.

As concessionárias do grupo EGF já arrancaram com este projeto, nas suas áreas de atuação, prevendo concluir a ação daqui a quatro meses. Em simultâneo, a EGF convidou todos os sistemas de tratamento e valorização de resíduos, câmaras municipais e organizações, a adotar o mesmo procedimento, para que seja possível uniformizar esta prática em todo o país.

Para além da ordenação dos ecopontos, também o código da reciclagem presente em suportes informativos passa a estar disponível em audiodescrição. Se por um lado a sinalética já tinha os símbolos colorADD (que apoia a identificação das cores pelos daltónicos), também agora os cidadãos cegos ou com dificuldades de visão podem ouvir estas regras disponíveis no website da EGF ou ouvir o anúncio da campanha neste formato.

A estas iniciativas, acresce a legendagem de todos os filmes divulgados, entre os quais o anúncio de TV, o que permite à comunidade surda o seu entendimento, e alguns conteúdos apresentados por colaboradores da empresa cuja limitação física e/ou psicológica não foram limitações de participação.

Lançada em outubro pela EGF e pelas 11 concessionárias, “esta é a maior campanha de sensibilização ambiental alguma vez desenvolvida em Portugal com fundos europeus e tem um investimento de cerca de um milhão de euros”.

 


NESTA SECÇÃO

Casos ativos descem após mês com aumento de vítimas mortais

O número de pessoas falecidas no concelho da Batalha com Covid-19 aumentou para 18 no último...

“Terra e Mar”

Começo por me apresentar. Chamo-me Ana Costa Caseiro, cozinheira no restaurante Muralhas, lo...

Poluição: autarca indignado com ministro do Ambiente

“A solução agora apresentada é uma não solução, agrava o problema e prolonga no tempo as gra...