José Travaços santos

Baú da Memória

Uma Matriz comum a católicos e ortodoxos

É um facto a assinalar com júbilo e um acto a merecer os maiores louvores a cedência, pelas nossas Diocese e Paróquia, da Igreja Matriz batalhense à comunidade ortodoxa, residente na nossa região, para a celebração dos seus actos de culto.

Constituída na maior parte, como é o caso da Batalha, por emigrantes ucranianos, a comunidade ortodoxa tem sido um exemplo de fácil integração em Portugal, revelando-se como pessoas ordeiras, pacíficas, trabalhadoras e em bastantes casos com um elevado grau de instrução. E todos extremamente prestáveis.

É curioso verificar que o sacerdote ucraniano, que preside aos actos litúrgicos, colabora frequentemente com a nossa Paróquia, inclusivamente nas visitas pascais, auxiliando o nosso pároco, e em todos os lares é recebido com afabilidade.

Há muito mais a unir a Igreja Católica e a Igreja Ortodoxa do que aquilo que as poderia separar.

Quando há anos o Rancho Folclórico Rosas do Lena foi participar em festivais mundiais na Ucrânia, o grupo foi convidado a tomar parte numa celebração na Igreja ortodoxa, inclusivamente entoando os nossos cânticos religiosos, o que deu origem no final a provas de grande simpatia e a um agradável convívio entre portugueses e ucranianos.

A fotografia, que se reproduz, foi tirada em 21 de Abril última, Domingo de Páscoa dos católicos e Domingo de Ramos dos ortodoxos. Depois da Missa celebrada na nossa Igreja Matriz, o sacerdote ucraniano procedeu, no adro do templo, à cerimónia dos Ramos.

 


NESTA SECÇÃO

Sassetti e o sonho dos outros

  Se ainda pertencesse a este mundo, Bernardo Sassetti iria completar cinquenta anos de i...

Desconfinamento ou regresso a normalidade

Muitos pensaram que a partir de 1 de junho, com muitos cuidados, nos aproximaríamos da norma...

Como enganar um bando de corvos

  Vivemos momento atípicos, andamos de cara tapada, o que me faz alguma confusão, e o dis...