Travaços Santos é sócio da Sociedade de Geografia

O investigador batalhense José Travaços Santos recebeu o Diploma de Sócio Correspondente da Sociedade de Geografia de Lisboa durante o colóquio “A Ordem de Cristo e o Infante D. Henrique”, que decorreu no dia 25 de maio no auditório do Mosteiro da Batalha.

Antes de receber a distinção, José Travaços Santos fez uma intervenção intitulada “Infante D. Henrique, imperador de novos mares e novos céus” (ver secção “Património”).

Para o presidente da câmara Municipal, Paulo Batista santos, trata-se de “uma justa homenagem a este ilustre batalhense”, a quem agradeceu a vida dedicada às causas do património, da cultura, da etnografia e da Batalha, com evidência para o estudo do mosteiro.

“Nascido a 25 de março de 1931, iniciou a sua carreira literária em 1949 no Jornal “O Alcoa”, tendo, desde cedo, revelado grandes e distintas capacidades para a escrita, com centenas de textos de opinião e jornalísticos, publicados em diversos jornais da região de Leiria [incluindo o Jornal da Batalha].

Cedo dedicou também a sua atenção ao estudo da etnografia alto-estremenha, tendo sido um dos fundadores do Rancho Folclórico Rosas do Lena e um dos grandes impulsionadores da Casa Museu da Madalena, localizada na Rebolaria, sendo ainda autor dos Cadernos da Vila Heróica, repositório histórico e etnográfico sobre a Batalha e toda esta região. Conhecedor profundo da história da Batalha, do Mosteiro de Santa Maria da Vitória, das gentes e de toda a região de Leiria, José Travaços Santos é também reconhecido pelas excelentes qualidades de historiador, etnógrafo e ensaísta, animador cultural e pedagogo por excelência, no domínio da defesa e da valorização do património histórico-cultural português.

Tem dado, e sempre disponível para colaborar, inúmeros contributos para o estudo da Batalha, do seu mosteiro e, mais recentemente, também na instalação do Museu da Comunidade Concelhia.

Com o seu empenhamento e entusiasmo, permitiu que na região fossem criados diversos agrupamentos folclóricos, com importante trabalho ao nível da defesa e promoção da cultura portuguesa, dentro e fora do nosso país.

A relevância da sua ação social, cívica e cultural, tem justificado o reconhecimento de inúmeras instituições e organismos, tendo recebido na Cidade de Guimarães o Óscar Mundial do Folclore”. (Fonte da biografia: Município da Batalha).


NESTA SECÇÃO

Uma petição a D. Maria II para que aumentasse o território do concelho da Batalha

O século XIX foi bastante atribulado para Portugal. No primeiro decénio com o terror das inv...

Conservatório com dança pela Academia Arabesque

O Conservatório de Música e Artes do Centro (CMAC) concretizou um protocolo com a Academia A...

"A Visita do Marquês" promove património junto dos estudantes

O Auditório do Mosteiro da Batalha recebeu no dia 19 de setembro a sessão de apresentação da...