Ana Carolina Rodrigues

Interna de MGF na USF Condestável Batalha

Tiróide - factos e mitos

A tiróide é uma glândula existente na região anterior do pescoço de todos os seres humanos, responsável pela produção das hormonas tiroideias. Estas hormonas têm um papel fundamental na maioria das reações químicas e biológicas que ocorrem no corpo humano. Assim, “ter tiróide” é normal e até essencial à vida.

As doenças que podem acometer a tiróide dividem-se em dois grandes grupos: doenças estruturais/anatómicas e doenças funcionais. Estes dois tipos de patologia são independentes e podem estar presentes em simultâneo ou isoladamente.

A doença estrutural mais conhecida é a patologia nodular da tiróide, que inclui a presença de quistos (lesões de conteúdo líquido) e/ou nódulos (lesões sólidas). A estrutura da tiróide observa-se através da ecografia tiroideia. Assim, na presença de patologia nodular da tiróide, o acompanhamento e controlo evolutivo das lesões deve ser feito através deste exame de imagem, com a periodicidade que o seu médico achar pertinente. Este controlo é feito para avaliação das características das lesões e para decisão da necessidade ou não de realização de biópsia, em algum momento, para despiste de lesões de carácter maligno.

As doenças funcionais da tiróide surgem quando a glândula produz hormonas tiroideias em quantidade diminuída (hipotiroidismo) ou em quantidade aumentada (hipertiroidismo). O diagnóstico é feito através do doseamento hormonal em análises de sangue.

O hipotiroidismo é a doença funcional da tiróide mais comum. Os valores hormonais devem ser avaliados pelo seu médico, que decidirá sobre a necessidade de introdução de medicação que substitua a hormona tiroideia em falta (levotiroxina) e sobre o momento mais adequado para iniciá-la.

O hipertiroidismo é uma doença menos comum e que exige um controlo mais apertado, sendo, para tratamento, necessária medicação mais específica (anti-tiroideus de síntese), utilização de iodo radioativo ou, em alguns casos, cirurgia.

Os principais sinais e sintomas de hipotiroidismo são os seguintes: ligeiro aumento de peso, queda de cabelo e cabelo quebradiço, intolerância ao frio, cansaço, irritabilidade, esquecimento, entre outros.

Por outro lado, os sinais e sintomas de hipertiroidismo incluem ansiedade, irritabilidade, insónia, aumento do trânsito intestinal, intolerância ao calor e perda de peso apesar do aumento de apetite.

O facto de ambas as patologias apresentarem sintomas e sinais muito inespecíficos prejudicam a precocidade do diagnóstico, que é, por vezes, tardio.

Não está recomendada a realização de ecografia da tiróide e análises de função tiroideia em pessoas saudáveis e assintomáticas, sem história familiar de patologia da tiróide.


NESTA SECÇÃO

Consulta pré-concecional: O que é? Qual a importância?

Já lá vai o tempo em que não era possível programar o nascimento de um filho. Não havia méto...

Diabetes: um dia sem açúcar em família

A International Diabetes Federartion (IDF) comemora anualmente no dia 14 de novembro o Dia M...

Maioria tem falta de dentes e há mais a não irem ao dentista

Mais de 30% da população revela que nunca vai ao médico dentista ou apenas vai em caso de ur...