Tenossinovite de De Quervain

Na edição de maio dedica-se o presente artigo ao tema Tenossinovite de De Quervain. Uma tenossinovite é uma inflamação de um tendão (tendinite) associada à inflamação da bainha protetora que cobre esse mesmo tendão.

A tenossinovite ou síndrome de De Quervain é uma inflamação que afeta os tendões do punho que se dirigem para o polegar, nomeadamente o longo abdutor e o curto extensor do polegar, na zona onde atravessam uma bainha fibrosa espessa. Foi descrita pela primeira vez pelo médico suíço Fritz De Quervain, no ano de 1895, daí a atribuição do seu nome à disfunção.

As causas da tenossinovite de De Quervain são desconhecidas, contudo na maioria dos casos está associada ao sobre-uso, quer nas atividades da vida diária quer na atividade laboral ou por patologia reumatismal. Qualquer atividade que envolva movimento repetitivo do punho e mão, tais como: jardinar, jogar ténis, tocar piano ou pegar num bebé, pode desencadear e/ou agravar a sintomatologia.

A tenossinovite de De Quervain está associada a diversas atividades laborais que exijam posturas mantidas ou gestos repetitivos atingindo, sobretudo trabalhadores manuais (como empregados fabris, pintores, músicos); o que constitui uma doença do trabalho ou doença profissional.

Esta disfunção afeta essencialmente adultos entre os trinta e os cinquenta anos; as mulheres são dez vezes mais afetadas que os homens.

Os sinais e sintomas da tenossinovite são: Dor ao longo do polegar que aparece gradualmente; Progressivamente a dor será sentida no punho e pode irradiar até ao antebraço. As queixas geralmente pioram com a atividade (principalmente na preensão e torção do punho). Em situações mais severas pode existir edema ao nível do punho e a dor estará presente mesmo em repouso.

O diagnóstico da lesão terá que ser sempre realizado por um médico especialista que definirá o melhor método de tratamento.

A Fisioterapia apresenta bastante eficácia no tratamento desta lesão. Paralelamente aos tratamentos de Fisioterapia, numa fase inicial da lesão é indicado repouso do utente/atleta e aplicação de gelo local.

É de salientar a importância do exercício físico regular e dos alongamentos na prevenção deste tipo de lesões de sobre-uso. Qualquer indivíduo deverá alongar no seu dia-a-dia consoante as suas necessidades, quer exigidas pela atividade laboral quer pelas atividades desportivas ou de lazer.


NESTA SECÇÃO

Doenças dos pés são mais comuns no verão

Os pés passam cerca de 2/3 da nossa vida fechados, razão pela qual lhes damos pouca importân...

Tenho perdas de urina, e agora?

A incontinência urinária (IU) é uma situação patológica que resulta da incapacidade em armaz...

Policlínica D. Nuno inaugurou polo em São Jorge

A Policlínica D. Nuno inaugurou esta segunda-feira, 23, o seu polo de Porto de Mós, em São J...