Restauração ajuda turismo a crescer na região

Os presidentes do Turismo Centro Portugal (TCP) e do Município da Batalha destacaram a importância da restauração e da acessibilidade e inclusão para o aumento da procura turística na região, durante a inauguração das novas instalações do restaurante Mosteiro do Leitão, na Batalha.

O presidente do TCP, Pedro Machado, referiu durante a cerimónia - perante mil convidados -, na quinta-feira, 11, que “a economia do canal Horeca (hotéis, restaurantes e cafés) representa mais de 70% do negócio da região centro”. “Quando pensamos em turismo, normalmente referimo-nos a camas de hotel e esquecemo-nos que a atividade turística, que representa na região mais de 300 milhões de euros por ano, está muito alavancada naquilo que está a acontecer aqui hoje”, explicou.

Para Pedro Machado, “é um orgulho haver empresas e empresários que, em primeiro lugar, apostam na sua terra, como os responsáveis por este novo equipamento que honra a região centro. O que aqui está a ser feito é do melhor que existe na oferta de Portugal”.

O presidente da Câmara da Batalha, Paulo Batista Santos, também reconheceu o trabalho dos proprietários do restaurante, Zita e Bruno Figueiredo, “dois empresários de excelência, que por nossa sorte vieram parar à Batalha”.

“Este é um projeto de excelência que traz à Batalha mais um ícone do turismo acessível para todos. É uma marca que nós orgulha muito que, para além daquilo que é a boa gastronomia, de acolher os turistas, é também sermos inclusivos”, adiantou o autarca.

O presidente do município elogiou ainda o trabalho desenvolvido no restaurante, na área da inclusão, pelo Centro de Recursos para a Inclusão Digital do Instituto Politécnico de Leiria, coordenado por Célia Sousa.

Na Europa há mais de 80 milhões de pessoas com mobilidade reduzida, que “querem fazer turismo e têm os mesmos direitos que todos os outros e este restaurante é mais um projeto de excelência nesta matéria”, frisou Paulo Batista Santos.

Na conferência de imprensa de apresentação do restaurante, na segunda-feira, 8, o vice-presidente da Câmara da Batalha, Carlos Agostinho, também se tinha referido à questão da inclusão: “é um projeto que resulta de uma experiência já de 10 anos, de empresários que têm uma sensibilidade diferente, além de ser pela inclusão das pessoas, tem também uma componente ambiental e requalificou um espaço devoluto muito importante no principal eixo viário que atravessa o concelho da Batalha”

Os proprietários “captaram muito bem o conceito e o desígnio estratégico de tornar o município inclusivo, em várias vertentes, não só para aqueles que tem de ter melhores acessibilidades”, disse o vice-presidente.

O novo Mosteiro do Leitão situa-se em frente às suas antigas instalações, no Casal da Amieira (IC2/EN1) num edifício que foi de uma serração e corresponde a um investimento de três milhões de euros.

O Mundo do Peixe e o Claustro constituem dois novos conceitos do restaurante, que complementam a marca-mãe do projeto. “O espaço dedicado ao peixe (apenas de mar) é uma resposta à procura dos clientes, o Claustro serve hambúrgueres, petiscos, carpaccios e outros tipos de cozinha, e está aberto todo dia, e o Mosteiro do Leitão mantém o serviço conhecido”, explica Zita Freire.

Esta nova etapa na vida do restaurante permitiu aumentar de 14 para 36 o número de colaboradores e reforçar as medidas inclusivas e de sustentabilidade.

“Os nossos colaboradores receberam formação na área do turismo inclusivo, para saberem lidar, por exemplo, com uma criança com autismo e temos as ementas em Braille e com pictogramas, porque queremos que o Mosteiro do Leitão seja efetivamente um espaço para todos”, refere a proprietária.

Na área da sustentabilidade ambiental, implementou medidas para reduzir a utilização de sacos do lixo, aplicou torneiras inovadoras, que permitem poupar água e papel para secar as mãos, reforçou a reciclagem e também houve cuidados semelhantes na escolha de materiais usados na construção.

O Mundo do Peixe tem capacidade para 70 pessoas, o Claustro e esplanada podem receber 140 e o espaço da marca-mãe pode acolher 500 pessoas em simultâneo. O restaurante mantém a sua vocação centrada no serviço de almoços e jantares (incluindo de grupos) e não servirá diárias, nem incidirá a sua ação em festas como casamentos.

 

Foto: Mosteiro do Leitão


NESTA SECÇÃO

Município mantém IMI no mínimo e penaliza prédios abandonados

A Câmara da Batalha “atribuiu [no ano passado] isenções totais ou parciais de impostos e out...

Câmara e Altice assinam protocolos sobre comunicações

O Município da Batalha assinou no dia 19 de setembro dois protocolos com a Altice Portugal r...

Projeto familiar promove turismo rural nas Brancas

O Nature et. al. House é um projeto familiar de alojamento local situado em meio rural nas B...