Recolha seletiva de resíduos aumenta 11% na região

A recolha seletiva de resíduos na área de influência da Valorlis, que inclui o Concelho da Batalha, aumentou 11% no ano passado em relação a 2017, revelou a empresa no dia 5 deste mês, adiantando que “em todos os materiais – vidro, papel e cartão, plástico e metal, foi notório o aumento”.

No entanto, a separação de papel e cartão foi a que registou um crescimento superior (mais 15% que no ano anterior), seguindo-se “uma evolução muito positiva” na separação de plástico e metal para reciclagem (mais 14%), enquanto a separação de vidro cresceu 4%.

Em resultado, a Valorlis enviou para reciclagem 11.141 toneladas de resíduos, das quais 4.248 de vidro, 4.858 de papel/cartão e 2.035 toneladas de embalagens de plástico e metal.

“O esforço de recolha seletiva nos municípios da Batalha, Leiria, Marinha Grande, Ourém, Pombal e Porto de Mós resultou na poupança de mais de 72 mil árvores, poupou energia suficiente para manter ligada uma televisão durante mais de 1.150 anos, metal que permite fabricar mais de 8,5 milhões de latas de 0,33 litros, plástico suficiente para produzir mais de 7,5 milhões de t-shirts XL e a quantidade de vidro que permite produzir cerca de 12,1 milhões de garrafas de 0,75 litros”, exemplifica a empresa em comunicado.

“A Valorlis reconhece o esforço da população e agradece todo o seu contributo, que é imprescindível para a recolha seletiva, procurando retribuir com um serviço cada vez melhor e que vá ao encontro das suas necessidades”, afirma administradora delegada da Valorlis, Marta Guerreiro.

“A deposição seletiva é já uma prioridade para muitos munícipes, mas temos consciência de que o nosso esforço de sensibilização deverá manter-se, com uma linguagem simples e direta, de forma a mostrar a todas as pessoas que é possível fazer a diferença”, adianta Marta Guerreiro.

“Em conjunto será possível reforçar em 2019 a região como uma referência nas metas da reciclagem e alcançar os exigentes objetivos que nos colocam em termos de material enviado para reciclagem até 2020”, conclui a administradora delegada da Valorlis.


NESTA SECÇÃO

Modelo para os efluentes suinícolas “desresponsabiliza os produtores”

O presidente da Câmara Batalha “não acredita na solução” apresentada pelo Governo para o tra...

Agredia e ameaçava de morte a mãe há uma década

Um homem foi detido pela GNR esta quarta-feira, 11, no Concelho da Batalha sob suspeita de a...

Padre deixa a Batalha após 38 anos na paróquia

O padre José Gonçalves deixa a Batalha, 38 anos após ter assumido os destinos da paróquia, n...