Célia Ferreira

AMHO A Minha Horta

Quem vier cá a casa leva sempre algo no regaço

O mês de agosto é para os hortelãos o mês da abundância, é época em que quem vier cá a casa leva sempre algo no regaço, porque a natureza é generosa e permite partilhar.

O feijão que foi semeado em março está bom para colher - depois de limpo deve ser colocado na arca para evitar o aparecimento de gorgulho.

Os tomates são tão produtivos que já temos as reservas para o inverno na arca e ainda a produção vai a meio. Para ter mais adiante já plantei novos pés na terra, pode ser que o tempo permita ter tomates mais tarde.

Um acontecimento feliz no meu quintal é o sabor da beterraba, (deduzo que seja por ser zona de barro) que não têm aquele sabor a “terra” que costuma ser-lhes característico, são bem saborosas e agora que aprendi a usá-las não as dispenso na salada: basta ralar no ralador, temperar com sal, azeite e sumo de limão e temos assim uma salada com imensos nutrientes, que dura temperada no frigorífico por diversos dias. À couve roxa faço o mesmo. Tem a vantagem de ser uma hortícola que pode ser plantada diversas vezes no ano.

Variedade de cores é um bom indicador de variedade de nutrientes, e a cor vermelha/rosa da beterraba é linda. Faz também um sumo natural muito bom. Junto maçã + beterraba + gengibre, tudo bem fresquinho e fico com um sumo nutricional e delicioso. Junto o útil ao agradável.

Hortícolas para Semear e/ou plantar ao ar livre: acelgas, alfaces, beringelas, beterrabas, beldroegas, cenouras, coentros, couves-repolho, couve-rábano, espinafres, malaguetas, milho, nabos, pepinos, pimentos, physalis, salsa, tomates, rabanetes e rúcula.

Jardim, semear e/ou plantar: amores-perfeitos, asteres, goivos, margaridas e prímulas.

Se soubermos observar e aprender com a natureza, teremos muito a aprender.

Na horta podemos cultivar bons alimentos e bons sentimentos!

Boas colheitas.

 


NESTA SECÇÃO

O distanciamento físico

Quando, há anos, a comunidade científica anunciou um estudo, em que demonstrava que quem mai...

478 anos da morte do Infante João

O Infante D. João nasceu a 13 de janeiro de 1400, em Santarém, sendo o sétimo filho de D. Jo...

“Colheitas de ano bissexto, cabem todas num cesto”

Nestes meses que passam, e com o observar das culturas, lembro-me de um provérbio popular: “...