Projeto à procura da vaca-ruiva regressa este sábado ao Concelho da Batalha

O projeto vaca-ruiva regressa ao concelho da Batalha na noite deste sábado, dia 16, com uma atividade que decorrerá no Reguengo do Fetal, “a freguesia que conserva os melhores carvalhais do concelho”, segundo a organização da iniciativa, o grupo Aves da Batalha.

A ação desenrola-se em quatro distritos do país (Leiria, Santarém/em Tomar, Coimbra/no Parque Verde e Lisboa/em Mafra e Sintra), entre sexta-feira e domingo, dias 15 a 17, com seis atividades “dinamizadas por diferentes monitores da Rede de Embaixadores, com o intuito de dar a conhecer a vaca-ruiva e os seus habitats”, adianta o Aves da Batalha.

O ano de 2020, o crescimento da Rede de Embaixadores marcou o início de uma campanha de sensibilização, direcionada especificamente para a vaca-ruiva. Após o sucesso registado em 2021, foi lançado o 1º Fim-de-Semana da Vaca-ruiva, em que participaram 40 pessoas, em seis atividades, que descobriram 15 vacas-ruivas.

Este escaravelho de tons escuros, mede entre 3 e 4,5 cm de comprimento e possui umas mandíbulas em forma de pinça que o distinguem de outras espécies. O Lucanus barbarossa (vaca-ruiva) só pode ser avistado, na sua fase adulta, de julho a setembro.

As vacas-ruivas podem encontrar-se apenas na Península Ibérica, sul de França e norte de África. Em Portugal, a distribuição conhecida atual vai de Bragança até à península de Setúbal, sendo a região centro onde parece ser mais abundante. Esta espécie encontra-se associada a zonas de carvalho-cerquinho, carvalho-negral e azinheira.

Além de participar nas atividades, quem quiser pode integrar esta ideia, bastando para isso tirar uma fotografia ao escaravelho e fazer o registo na plataforma “BioDiversity4All”. Cada registo contribui para aumentar o conhecimento desta espécie pouco conhecida e compreender o seu estado de conservação.

Até ao final de setembro pode juntar-se aos embaixadores locais do projeto vacaloura.pt, entre os quais a Associação 30por1linha, o grupo Aves da Batalha, a Milvoz – Associação de Protecção e Conservação da Natureza, a Tapada Nacional de Mafra, o Museu de Ciência da Universidade de Coimbra e o projeto Plantar uma Árvore. Pode ainda seguir o projeto no Facebook ou Instagram.

O projeto vacaloura.pt existe desde 2016 e incentiva a participação cívica para se saber mais sobre os escaravelhos da família Lucanidae, como o vaca-ruiva e a vaca-loura. É coordenado pela Associação Bioliving, em parceria com a Unidade de Vida Selvagem do Departamento de Biologia da Universidade de Aveiro, Sociedade Portuguesa de Entomologia e Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

A vaca-loura (Lucanus cervus) é a espécie bandeira do projeto e é também o maior escaravelho observável em Portugal, sendo uma espécie legalmente protegida. “Tanto a vaca-loura como a vaca-ruiva são organismos decompositores de madeira morta e têm, por isso, um papel fundamental na natureza, pois fazem a reciclagem dos nutrientes do solo, promovendo a regeneração sustentável da floresta”, refere o grupo Aves da Batalha.

 


NESTA SECÇÃO

Procissão dos Caracóis volta este sábado e mostra por que quer ser classificada

A Procissão dos Caracóis, que integra a Festa de Nossa Senhora do Fetal, regressa este sábad...

“30 anos de FIABA. Três décadas a abraçar a tradição” do artesanato à gastronomia e música

A 30ª edição da Feira de Artesanato e Gastronomia da Batalha – Mostra do Mundo Rural (FIABA)...

Suspensa pesquisa e exploração de pedreiras na freguesia de Reguengo

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) prorrogou a suspensão...