António Caseiro

Fiscalidade

Programa fiscal do novo Governo

O novo Governo tomou posse, e apresentou o seu programa, o qual foi analisado e discutido na Assembleia da República, nos passados dias 30 e 31 de outubro. Em termos fiscais, prevê-se uma política de maior justiça fiscal que irá reduzir o esforço fiscal das famílias e empresas.

Uma maior e melhor justiça implica: dar prioridade à simplificação do sistema fiscal, pela clareza das normas fiscais, pela facilitação do cumprimento das obrigações tributárias, pela melhoria dos canais de comunicação entre os contribuintes e a Administração Fiscal, pela revisão do sistema de benefícios fiscais que deverá ser orientada para uma maior exigência nos momentos da criação e implementação de benefícios fiscais, introduzindo ainda mecanismos regulares de avaliação quantitativa e qualitativa e continuar a dar prioridade ao combate à fraude e à evasão fiscal e ao planeamento fiscal agressivo, com base na utilização eficiente do conjunto de informação que é já hoje colocada à disposição da Administração Fiscal.

O Governo irá promover a progressividade fiscal, de forma a melhorar a redistribuição dos rendimentos. Sendo a progressividade dos impostos sobre o rendimento individual um mecanismo básico de redistribuição. Para isso irá dar continuidade ao desenvolvimento de mecanismos que acentuem a progressividade do IRS, revendo os respetivos escalões; caminhar no sentido do englobamento dos diversos tipos de rendimentos em sede de IRS, por exemplo: de capitais e prediais, eliminando as diferenças entre taxas, passando a ser tributados por englobamento obrigatório; Eliminar e reduzir, progressivamente, os benefícios e deduções fiscais com efeitos regressivos, reforçando a transparência e a simplificação do sistema fiscal e aumentando a sua equidade e justiça social e assegurar a avaliação regular e sistemática do conjunto de benefícios fiscais, tornando o sistema fiscal mais simples e transparente, com um maior grau de exigência quanto à explicitação dos objetivos extrafiscais que presidam à sua criação e/ou manutenção, e assegurando a utilização alternativa dos mecanismos de política fiscal que se mostrem mais eficientes à concretização das finalidades propostas, e garantir um quadro de estabilidade na legislação fiscal, assegurando a previsibilidade necessária à dinamização do investimento privado e aumentar as deduções fiscais no IRS em função do número de filhos (sem diferenciar os filhos em função do rendimento dos pais);

Em termos de IRC, no que se refere ao sistema fiscal português, que de acordo com o Taxa survey da UE, se posiciona como o segundo mais favorável ao investimento, o Governo pretende apoiar o investimento em inovação, continuando a trabalhar nas seguintes dimensões: Incentivar o investimento privado em I&D empresarial com a revisão do instrumento de Incentivos Fiscais ao I&D empresarial (SIFIDE); promover uma fiscalidade que incentive o investimento na modernização produtiva e na I&D, prosseguindo a trajetória de melhoria do quadro de apoio ao investimento e a capitalização das empresas, em detrimento da redução genérica do IRC, cuja correlação com o crescimento do investimento não está demonstrada; melhorar o regime do IRC para as empresas que reinvistam os seus lucros através de um aumento em 20% do limite máximo de lucros que podem ser objeto de reinvestimento (de € 10M para € 12M), assim aumentando a dedução à coleta de IRC para estas empresas; Criar um quadro fiscal incentivador da canalização de poupança para o investimento produtivo e da abertura do capital das empresas e criar um quadro fiscal favorável aos ganhos de escala das empresas e à sucessão empresarial.

 


NESTA SECÇÃO

Alterações climáticas: pensar global e agir localmente

As alterações climáticas são já uma realidade muito próxima de cada um de nós. Hoje sabemos ...

Orçamento

Estamos em época de aprovação de orçamentos, quer do Estado, quer dos municípios, quer ainda...

Voltemos às eleições legislativas

O ato eleitoral do passado dia 6 de outubro mostrou um crescimento sustentado do Partido Soc...