Célia Ferreira

A.M.HO. A.Minha.Horta

Prendas e embrulhos diferentes

Estamos em Dezembro e com ele chegaram o frio e a chuva. Já vos disse que gosto muito da chuva e cada vez se percebe mais a sua falta - pois que venha chuva. Temos agasalhos e tetos para nos abrigarmos.

Adoro dar e receber presentes, e o Natal é uma época especialmente dedicada à partilha, mas dispenso totalmente o consumismo desenfreado, aquele sentido de dar por obrigação, potencio antes o dar por devoção. Como na quadra natalícia jantamos e almoçamos em modo família alargada, e para não criar o ambiente de confusão geral na troca de presentes, jogamos o velho jogo do amigo secreto.

Com algum tempo de antecedência colocamos o nome de cada pessoa num saco e deixamos de cada um tire à sorte o nome da pessoa a quem vai dar presente. Assim na noite de Natal apenas existe a entrega de um presente por pessoa. Para aumentar a expectativa começamos por chamar a entregar o presente a pessoa mais velha, a quem é sugerido previamente que descreva a pessoa que lhe calhou para que perceba que vai receber o presente.

Isto potencia a que sejam dados elogios e reconhecimentos em família – pois a intenção é usar adjetivos positivos. As crianças pequenas receber os presentes no fim, pois se for no principio não ouvem mais nada o resto de tempo, e assim treinam a paciência e o saber esperar.

Com um bocadinho de imaginação e espírito divertido podemos tornar os nossos natais mais interativos, recorrendo a formulas antigas mas sempre atuais para pôr em pratica. Mesmo que na sua família as primeiras reações não sejam as mais desejadas, insista, persista e não desista, vai ver que acabam por alinhar.

Em relação aos presentes, optamos sempre por algo útil. Sugestões:

Garrafas de azeite aromatizado: encher com azeite garrafas bonitas e depois introduzir uma erva ou mistura a gosto.

Sal verde: numa taça juntar duas colheres de sopa de alecrim seco, duas colheres de sopa de orégãos secos, duas colheres de sopa de manjericão seco e por último uma colher de chá de sal natural. Triturar tudo e colocar num frasco pronto a adicionar sabor e nutrientes às nossas saladas.

Cabaz de hortícolas. Presentes úteis e que não farão parte do espírito de consumismo desenfreado a que assistimos por estes dias.

Outra coisa que me faz alguma confusão, é o excesso de papel nos embrulhos, é frequente vermos nos dias seguintes os amontoados de papéis nas ruas. Tenho optado por embrulhar os presentes em sacas de tecido (que coso), que pode ser reaproveitado, fazendo assim um presente extra, ou então, como a minha mãe fazia, num pano de cozinha bonito - para quem tem jeito com as agulhas, com um picon a embelezar. E assim diminuímos a quantidade de papel a usar.

Hortícolas para semear e/ou plantar: alfaces, agrião, beterraba, cebolas, couves, coentros, favas, mostardas, desbastar as nabiças, nabos, rúcula, salsa.

Árvores de fruto plantar: alperces, ameixoeiras, amoreiras, cerejeiras, figueiras, framboeseiras, groselheiras, macieiras, mirtilos, nectarinas, pereiras, pessegueiros.

Jardim, semear e/ou plantar: goivos, jacintos, tulipas.

Na horta posso cultivar bons alimentos e bons sentimentos!

Boas colheitas.


NESTA SECÇÃO

Nova lei nacional de proteção de dados

A Lei de execução do Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD), foi aprovada no passado ...

Mês em branco

Este mês não tenho tema. Não há uma situação caricata. Não há uma crítica. Não há uma reflex...

Serviço Nacional de Saúde

O SNS é sem margem para dúvidas o serviço mais importante e sensível que o nosso Estado, em ...