Prémio Mateus Fernandes vai reabilitar a Golpilheira

A 3ª edição do Prémio Municipal de Arquitetura Mateus Fernandes tem este ano como objetivo a requalificação do Centro Cívico da Golpilheira e as zonas envolventes mais degradadas, cabendo um prémio de cinco mil euros ao projeto vencedor.

A área de intervenção incide nas ruas padre dr. Joaquim Coelho Pereira e Principal junto à Igreja Nossa Senhora de Fátima, Escadinhas dos Mestres, e no acesso às pracetas, largos e edifícios de cariz público, como o largo Afonso Maria Coelho Pereira, onde se encontra a Igreja do Senhor Bom Jesus dos Aflitos e o salão de festas da Comissão da Igreja da Golpilheira.

O Prémio Municipal de Arquitetura Mateus Fernandes destina-se a premiar projetos de edificações novas, conjuntos e espaços verdes de utilização coletiva cuja conceção e qualidade arquitetónica sejam relevantes, assim como obras de recuperação e reabilitação cujo projeto mereça destaque pelo respeito do património edificado e/ou boas práticas sustentáveis.

Dividido nas categorias de edificações, espaços exteriores de uso público e boas práticas de sustentabilidade; o concurso de ideias permitiu premiar na edição anterior a reabilitação do largo de Reguengo do Fetal.

A apreciação das propostas de requalificação ficará a cargo do júri do concurso que integra técnicos e representantes da freguesia, e contará com uma comissão de acompanhamento do projeto constituída por representantes das principais intuições da freguesia, como o centro recreativo, assembleia de freguesia e comissão da igreja, uma vez que a intervenção prevista irá envolver espaços que acolhem ações destas entidades.

“O objetivo da requalificação urbana deve chegar às freguesias, já realizamos projetos relevantes em São Mamede, na vila da Batalha e estamos a iniciar a requalificação da praça do Largo da Fonte no Reguengo do Fetal e seguir-se-á a freguesia da Golpilheira”, descreve o presidente da autarquia.

“As preocupações com o ambiente urbano assume grande prioridade local, estamos a realizar investimentos importantes neste domínio que valoriza as pessoas e a sua relação com o espaço urbano, assumindo neste contexto um novo paradigma de desenvolvimento”, acrescenta Paulo Batista Santos.

O prazo para apresentação de candidaturas decorre até março, seguindo-se um período de exposição dos trabalhos e de participação pública, estimando-se que o processo seja concluído no primeiro semestre deste ano.

Concluído o concurso de ideias, serão desenvolvidos os projetos técnicos e aberto o concurso da empreitada para a requalificação e reabilitação urbana do Centro Cívico da Golpilheira.


NESTA SECÇÃO

A revolução editorial - entrevista com Hugo Xavier

No ano de 2015 presenciámos uma mudança no paradigma editorial português, com o aparecimento...

Parque de eventos garante prémio nacional à autarquia

O Parque de Eventos Santa Maria da Vitória foi considerado o melhor projeto apresentado na c...

Acordo tripartido para “Pavilhão da Magueixa”

A Assembleia Municipal da Batalha aprovou a definição de apoio financeiro para o acordo de p...