António Caseiro

Fiscalidade

Pensões aumentam e isenção de IRS deve subir

Os reformados que recebem pensões mais baixas irão ter em 2020 um aumento inferior a 1%. Este valor resulta da aplicação da fórmula de cálculo para a atualização ao início do ano. Mas poderão acontecer aumentos extraordinários como tem acontecido nos últimos anos.

Cerca de 80% dos pensionistas vão ter um pequeno aumento já a partir de janeiro. As pensões vão aumentar acima da taxa de inflação em 2020.

A reformas sobem 0,7% em janeiro de 2020. Segundo cálculos com base na estimativa dos valores da inflação de novembro publicados, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). O valor de 0,7% resulta da variação média do Índice de Preços ao Consumidor, sem a habitação (arredondada à 1. ª casa decimal) e do crescimento da economia nos últimos dois anos. Uma vez que a inflação média dos últimos 12 meses, referente a novembro, publicada pelo INE, foi (exceto habitação) foi de 0,24% e o Produto Interno Bruto, cresceu acima de 2%, há um bónus de 0,5% para as pensões até dois Indexante de Apoios Sociais, permite definir a atualização automática das pensões para 2020.

As regras deste indexante definem que existe uma atualização sempre que há um crescimento económico anual médio acima de 1% nos últimos dois anos.

O INE prevê publicar no dia 11 de dezembro o valor final do índice de preços no consumidor, podendo confirmar ou rever a estimativa publicada. Os valores finais da atualização das pensões só serão definitivos com a publicação da Portaria por parte do Governo.

As pensões mais baixas, até dois indexantes, ou seja, até € 878,50, (2 x € 439,25), em janeiro de 2020 terão um aumentam 0,7%, (o valor da inflação média dos últimos 12 meses, excluindo a habitação, arredondado a uma casa decimal).

As pensões entre duas e seis vezes o valor do IAS (€ 878,50 e € 2.635,50), serão atualizadas em 0,2% (o valor da inflação média dos últimos 12 meses, excluindo a habitação, arredondado a uma casa decimal).As pensões superiores a seis vezes o IAS (6 x € 439,25) € 2.635,50) e até (12 x € 439,25), € 5.271,00, não terão aumentos, apesar da atualização ser calculada retirando 0,25% ao valor da inflação, que foi de 0,2%.

As pensões acima do valor de 12 IAS (5.271,00) não terão aumentos.

Os trabalhadores que decidam antecipar a reforma para antes dos 66 anos e cinco meses (idade legal em 2019) vão ter um corte de 15,2%, a que se soma outra penalização de 0,5% por cada mês que falte para a idade de aposentação.

O Governo aprovou, após auscultação dos parceiros sociais, o aumento do salário mínimo para € 635,00, a partir de janeiro de 2020, medida já publicada em Decreto-lei e que o Governo estima que poderá abranger 720 mil trabalhadores.

Existem contribuintes que estão isentos de pagar IRS dado que recebem o ordenado mínimo. Foi criado o “mínimo de existência”, que visa garantir que todos os contribuintes possam auferir e ter à sua disposição, um determinado rendimento que está isento de IRS, podendo ser utilizado para pagar as suas despesas e garantir a subsistência do agregado familiar. Significa que só a partir de determinado valor de rendimento é que um contribuinte, trabalhador dependente e independente e pensionista, passam a pagar IRS.

Devido à atualização do Indexante de Apoios Sociais, o “mínimo de existência” deverá aumentar para € 9.224,25, em 2020, de acordo com o previsto no artigo 70º do Código do IRS, e calcula-se da seguinte forma: 1,5 x 14 x € 439,25 = € 9.224,25, Este montante passa a estar isento de IRS em 2020. De salientar, que o valor da IAS é confirmado no início do ano, depois da publicação da portaria.

Desejo a todos um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo.


NESTA SECÇÃO

Programa de Estabilização Económica e Social

Reforço do SNS Recuperação da atividade assistencial, através de incentivos financeiros a...

A pobreza e a exclusão da Covid-19

Verificou-se durante os anos de crise nacional, conhecidos pelos anos da Troika, que aumento...

Estranhos tempos estes

Quem diria há três ou quatro meses que estaríamos tanto tempo confinados às nossas casas em ...