Joana Magalhães

Pestanas que falam

Partir e nunca sair de casa

O hall de entrada preenche-se com sacos. Sacos de roupa. Sacos de louça. Sacos. Estou (novamente) de partida.

Enquanto crescemos, ouvimos repetidamente que é importante “embarcar” em aventuras fora de casa quando somos jovens. Crescer, ganhar maturidade, independência, tudo isso é importante. Desenraizar. Mas, na realidade, desenraizar enraíza-nos ainda mais. É a velha história do “só sabes o que tens quando o perdes”.

Há uma coisa que se tornou indispensável para mim, nesta rotina semanal do “cá e lá” durante a experiência universitária, e que se prolongará pela vida profissional que vou começar brevemente: sopa. Ao longo dos últimos três anos a minha mala de fim-de-semana foi ficando cada vez mais pequena, a roupa já não voltava sempre para ser lavada, bem como a dose de comida, que foi diminuindo. Mas algo que nunca dispenso é a tupperware com a dose semanal de sopa. Feita pela mãe ou pelo pai, sopa vai sempre comigo.

Mas porquê? Porque é que a sopa dos meus pais é sempre melhor do que a minha? Na verdade, a resposta é muito simples. É a sensação de estar em casa. Porque todos os dias em minha casa, em Leiria, come-se sopa ao jantar e, por isso, fora de casa, comer sopa ao jantar é estar em casa. Mas é importante que a sopa saiba ao mesmo, se não perde-se o efeito. É como o cabrito assado com batatas no forno da avó, que faz lembrar o almoço de Natal e as reuniões familiares.

Tão importante como a sopa é o cheiro da roupa e do novo quarto. Amaciador de lavanda para a roupa e ambientadores de lavanda para o quarto – kit para ter o cheiro de casa, fora dela.

No meio de tudo isto, o essencial é entender que o importante não é o que se come nem o cheiro da roupa que se veste, mas sim as memórias que nos levam até casa, ao nosso lar.

Partir e nunca sair de casa. É ter sempre um lugar onde se volta, com as novidades na ponta da língua que se atropelam à saída durante o jantar de sexta-feira.

É importante sair, mas mais importante ainda é saber para onde se voltar quando a missão lá fora está cumprida ou quando é preciso o conforto do lar.

 

 

 


NESTA SECÇÃO

Diversão e conhecimento no Verão

A palavra “férias” emerge no vocabulário utilizado na estação mais quente do ano. A ocupação...

Nova lei nacional de proteção de dados

A Lei de execução do Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD), foi aprovada no passado ...

Mês em branco

Este mês não tenho tema. Não há uma situação caricata. Não há uma crítica. Não há uma reflex...