Célia Ferreira

AMHO A Minha Horta

Partilhar a generosidade dos quintais

Este mês de junho tem-nos presenteado com a inconstância do tempo: ora andamos de chinelos, ora de galochas, assim nunca nos fartamos.

No entanto, as chuvas, que nos permitem não regar os quintais, têm a desvantagem de trazer com elas algumas maleitas para as plantas - volto a referir um preparado caseiro feito com plantas selvagens, a foto que acompanha este texto é de uma do meu quintal, tem excelentes propriedades anti-fungicas.

Falando do míldio. Existe selvagem nalguns locais por aqui uma planta que se dá bem em terrenos mais calcados e pedregosos, de seu nome bardana (Arctium Lappa). É uma planta medicinal da qual se aproveita tudo, da raiz às folhas, mas que deve ser usada com alguns cuidados.

Na horta funciona muito bem como preventivo e curativo do míldio. Muito simples de preparar: basta colher folhas de um ano da planta, colocar em água, numa vasilha de plástico, e deixar a macerar por 5-6 dias, coar e pulverizar as plantas com esse preparado diluído em 2 por 10, como preventivo, e 4 por 10 como curativo. Este preparado pode ser guardado em local escuro por seis meses.

É giro perceber que as produções andam diversificadas em diferentes quintais. Mo meu as batatas ainda vão a meio crescimento, no dos meus pais já se colheram… e assim temos batata nova, à disposição, mais vezes.

Os meus pepineiros e tomateiros ainda estão em fase inicial, mas já me sirvo dos dos meus sogros, e quando os deles deixarem de dar, estarão os meus a alimentar a família alargada.

Isto para referir que o que se passa no quintal dos outros não tem de ser o que se passa no meu, e assim se tivermos culturas desfasadas até é melhor, pois podemos fazer trocas entre nós e assim ter produtos frescos por mais tempo.

Voltarmos a partilhar em comunidade e sentir o prazer de dar e receber a generosidade dos nossos quintais é um hábito que se vai valorizando.

Procurem ainda os produtores da vossa rua, pois ganham na frescura dos legumes, assim vão poder dar valor aos agricultores de subsistência que por vezes nem oferecem por acharem que os vizinhos não têm interesse, e se não tiver nada para dar em troca, ajude com a sua presença e auxilio em algumas tarefas da horta, por exemplo, caso o produtor não queira valor monetário.

Hortícolas para semear e/ou plantar ao ar livre: abóboras, acelgas, agriões, aipo, alfaces, alho francês, batata doce, beringelas, beterrabas, beldroegas, beterrabas, broculos, cebolinha francesa, cenouras, coentros, couves-flôr, couves-repolho, couve-rábano, courgetes, endivias, espinafres, feijões diversos, malaguetas, melancias, meloas, melões, milho, nabos, pepinos, pimentos, physalis, salsa, tomates, rabanetes, rúcula.

Jardim, semear e/ou plantar: begónias, calendualas, gipsofilas, goivos, miosótis, prímulas.

Se soubermos observar e aprender com a natureza, teremos muito a aprender.

Na horta cultivamos alimentos e sentimentos!

Boas colheitas.

 


NESTA SECÇÃO

Mercado na Praça de Mouzinho de Albuquerque

É uma belíssima fotografia, com uma luminosidade espectacular e com indiscutível interesse h...

Menos tempo mais pousio

Nesta altura, os dias têm menos horas de sol e parecem mais curtos, implicando menos tempo p...

Boy Kill Boy – Uma década depois

Lembro-me em adolescente de ouvir o single “Suzie”, a mesma música que fez dos Boy Kill Boy ...