Padre Gonçalves tomou posse como capelão da Misericórdia

O padre José Ferreira Gonçalves, que deixou de ser pároco da Batalha, iniciou no dia 28 de setembro a sua missão de capelão da Santa Casa da Misericórdia da Batalha. A tomada de posse aconteceu no Centro Hospitalar de Nossa Senhora da Conceição, no início da missa em que participaram o capelão anterior, padre Artur Oliveira, os membros da mesa administrativa, utentes, familiares, colaboradores e voluntários.

O novo capelão comprometeu-se a cumprir a sua missão pastoral de assistência espiritual e religiosa “com diligência, competência e fidelidade”, segundo as orientações pastorais da Igreja, a lei civil e o Compromisso da Irmandade.” E disse que estava ali para servir com disponibilidade para escutar e animar as pessoas doentes e idosas e não somente para celebrar a missa semanal ou outros atos de culto.

Na sua breve intervenção, fazendo referência ao Compromisso, o vigário geral da diocese, padre Jorge Guarda, afirmou que “compete ao capelão, em colaboração com a mesa administrativa, os profissionais e voluntários da santa casa, ser o promotor e formador do autêntico espírito que informa e anima a Irmandade e a sua atividade como associação de fiéis, cujo fim, é a prática das Catorze Obras de Misericórdia, tanto corporais como espirituais, visando o serviço e apoio com solidariedade a todos os que precisam, bem como a realização do culto católico.”

Por seu lado, o provedor, Carlos Monteiro, agradeceu ao padre Artur Oliveira o seu serviço pastoral no centro hospitalar, durante mais de dois anos e meio, e saudou o novo capelão como “um amigo da instituição”, manifestando as boas expectativas que há sobre o serviço que virá desempenhar nas valências da santa casa, nomeadamente no centro hospitalar e no lar comunitário.


NESTA SECÇÃO

Estudo de impacto ambiental da Barrosinha à beira do chumbo

O pedido de licenciamento da pedreira da Barrosinha, na freguesia de Reguengo do Fetal, está...

Pedreira da Barrosinha pode acabar em tribunal e com indemnizações

Há intervenções e decisões promovidas até agora por algumas entidades públicas e privadas no...

Ninguém quer a exploração de pedra na Barrosinha

A Assembleia de Freguesia do Reguengo do Fetal recusou por unanimidade a exploração da pedre...