João Ramos

Fisioterapeuta

Overtraining e mialgias de esforço

O overtraining (excesso de treino) é uma situação clínica gerada pela desproporção entre a quantidade (volume e intensidade) de treino e a capacidade de recuperação do organismo (tempo).

Até há alguns anos, o overtraining era um problema que afetava atletas profissionais. Hoje é cada vez mais comum nos atletas amadores e até mesmo em crianças. Quando ocorre esta desproporção entre a carga de treino e a capacidade de adaptação/recuperação do atleta, o organismo entra em falência; deste modo, vários sistemas desregulam-se, tais como: o imunológico, o endócrino e o músculo-esquelético.

Sabe identificar quando está com uma carga excessiva de treino?

Quando se visa bons resultados e qualidade de vida, é muito importante ter o acompanhamento de uma equipa multidisciplinar de profissionais de saúde e de exercício (médico, preparador físico, nutricionista e fisioterapeuta).

A fadiga muscular é um processo multi fatorial relacionada com: o défice na produção energética; alterações nas fibrilhas da contração muscular; alterações do equilíbrio ácido-base da fibra muscular e não propriamente com a acumulação de ácido lático. Quanto mais intenso e prolongado o exercício, maior a probabilidade de fadiga.

Já a dor muscular durante e após o esforço está relacionada com processos de destruição e inflamação da fibra muscular e não é causada pelo ácido lático.

Estudos recentes demonstram que as contrações voluntárias máximas e a força de contração do músculo Quadricípite não estavam nos níveis basais até setenta e duas horas após atividade física. A ativação do músculo voluntário também não estava em níveis normais quarenta e oito horas após o exercício. Estes dados reforçam a ideia de que quarenta e oito horas é o tempo padrão para se recuperar da fadiga, contudo depende de vários fatores individuais para serem retomados os valores basais do atleta.

Todo este desequilíbrio anteriormente referido fundamenta a razão da grande percentagem de atletas amadores e profissionais que ao longo da época desportiva sofrem de mialgias de esforço, isto é, um ou mais grupos musculares em fadiga que originam dores musculares incapacitantes. Fazer um tratamento específico de Fisioterapia focado nos grupos musculares em sobre uso ajuda a minimizar esta disfunção e a prevenir diversas lesões músculo-esqueléticas no atleta.


NESTA SECÇÃO

Diabetes: um dia sem açúcar em família

A International Diabetes Federartion (IDF) comemora anualmente no dia 14 de novembro o Dia M...

Consulta pré-concecional: O que é? Qual a importância?

Já lá vai o tempo em que não era possível programar o nascimento de um filho. Não havia méto...

Maioria tem falta de dentes e há mais a não irem ao dentista

Mais de 30% da população revela que nunca vai ao médico dentista ou apenas vai em caso de ur...