Francisco Oliveira Simões

Historiador

Os gigantes da informática

A 19 de agosto iremos assistir ao fechar do círculo de uma das séries mais ambiciosas da televisão americana, trata-se da 4ª temporada da série Halt and Catch Fire. A história decorre em meados dos anos 80, onde somos convidados a acompanhar as vidas de três génios da informática, nas suas vertentes mais importantes. Juntos propõem construir o mais rápido computador portátil que o mundo já viu, o GIANT, com o apoio da empresa texana Cardiff Electric. O título que dá nome à série, refere-se a uma controlo de destruição informático.

Joe MacMillan (Lee Pace) é um visionário, que dedicou parte da sua vida a trabalhar na IBM, através dos contactos do exigente pai. A perda da mãe, quando ainda era jovem, causou-lhe um grande trauma. As suas ferramentas podem ser mais comparadas às de um criativo, pois apesar de não possuir conhecimento em engenharia ou programação, tem consciência das necessidades do mercado. A sua personagem foi claramente baseada em Steve Jobs, numa vivência constante pelo belo e perfeito, mesmo que custe perder o emprego.

Cameron Howe (Mackenzie Davis) é uma jovem programadora, que é contratada por Joe logo após acabar o curso. Quando MacMillan viu o seu potencial, ao corrigi-lo numa palestra que deu na Universidade, apercebeu-se que tinha de a ter ao seu lado no projecto do GIANT. A outra razão que os fez juntar, foi o amor que nutriam um pelo outro. À semelhança de Joe, Cameron perdeu o pai, e tentava desesperadamente encontrar alguém que o substituísse. Acabaria por encontrar no seu chefe, John Bosworth (Toby Huss), uma figura paternal que a apoiaria em tudo. Foi Cameron que deu um lado humano ao GIANT, dando-lhe possibilidade de comunicar com o seu usuário através de perguntas e respostas. Tudo o que fez foi uma tentativa de estar mais perto do pai. O seu aspecto tem muitas semelhanças com a figura central do anúncio do Macintosh de 1984, algo que deverá ter sido propositado.

Gordon Clark (Scoot McNairy) é o engenheiro informático. Podemos destacá-lo como sendo o mais realista dos três. Este facto é explicado pela sua vida estabelecida e bem resolvida. É casado com Donna (Kerry Bishé), uma das personagens que vai ganhando imenso protagonismo durante o desenvolvimento da história. Têm duas filhas e sonham ter uma vida desafogada. A experiência e pragmatismo de Gordon impedem-lhe que sonhe tão alto como os seus dois amigos. Percebemos que tem muita inveja de Joe.

O plágio é uma constante em toda a teia dos acontecimentos. Muitas das ideias que os protagonistas vão tendo são constantemente roubadas. A seguir à primeira temporada, cada um deles segue um rumo diferente. Cameron na criação de jogos online, ainda nos primeiros passos da Internet. Joe no mercado dos anti-vírus. E Gordon a tentar desenvolver um novo computador revolucionário.

Nesta derradeira aventura que se aproxima, vemo-los a trabalhar juntos de novo nos inícios dos anos 90. Ainda existem muitos nomes na indústria informática que nos são desconhecidos, e a história que agora termina demonstra bem esse facto.


NESTA SECÇÃO

O conto do vigário

Na política e na atividade pública não vale tudo. Aliás, o dever ético e deontológico implic...

Museu da Batalha acolhe a exposição “Vitória” – Residência artística de desenho

O MCCB acolhe, no seu espaço Laboratório da Memória Futura, a exposição “Vitória”, depois da...

Eça de Queirós e a sua estada em Leiria

Foi há cento e cinquenta anos que Eça de Queirós esteve em Leiria no desempenho das funções ...