A Opinião de José Valentim

Técnico de manutenção (Candidato autárquico pela CDU)

O trabalho terá sempre um valor central

Onde estava e o que fazia há 30 anos?

Em 1990, casado e com dois filhos vivia na Batalha e trabalhava em Leiria no meu local de trabalho de sempre, as oficinas da Rodoviária.

Foi um ano de intensa atividade, na altura era membro da Comissão Central de Trabalhadores e vivia-se o processo de destruição da Rodoviária Nacional. Processo eivado de violações aos direitos dos trabalhadores, despedimentos, encerramento de locais de trabalho, perseguição e tentativas de despedimento dos representantes dos trabalhadores, abandono de carreiras e serviços ás populações cujos efeitos ainda hoje se fazem sentir.

Atividade intensa: no plano laboral, conciliar a prestação efetiva no local de trabalho com as necessárias intervenções junto do poder político, poder legislativo, partidos políticos, poder judicial, procurando defender os vários direitos ameaçados, a organização e operacionalidade da empresa, o respeito da legislação, num processo eivado de inconstitucionalidades como bem veio a decidir o Supremo Tribunal Administrativo, embora, já sem poder produzir efeitos, porque, entretanto, já a empresa havia sido desmantelada e entregue a privados, com os efeitos hoje conhecidos.

No plano familiar: com dois filhos pequenos, a retenção durante quatro meses do meu salário, pela empresa, pôs à prova a importância da estrutura familiar para ultrapassar os momentos difíceis.

 

Em sua opinião quais as principais mudanças que vão marcar os próximos 30 anos?

O trabalho terá sempre um valor central na realização do individuo enquanto ser social. Esperando-se transformações no modo de produção, tal como hoje o conhecemos, será essencial que as alterações garantam a realização do indivíduo nas suas diversas vertentes, profissional, familiar, social, cultural, cidadania, etc.

 

Qual deve ser a principal prioridade no Concelho da Batalha para os próximos 30 anos e que medidas devem ser tomadas no imediato para cumprir esse objetivo?

O ordenamento do território, aliado à participação democrática dos cidadãos, será determinante para a coerência entre o desenvolvimento das diversas atividades humanas, a preservação das atividades económicas de forma sustentável, o usufruto do espaço com a preservação do ambiente, a mobilidade e a qualidade de vida.


NESTA SECÇÃO

IVA da eletricidade baixa para a taxa intermédia de 13%

IVA da eletricidade baixa para a taxa intermédia (13%) em dezembro de 2020. Serão aplicadas ...

A importância de uma rede social eficaz

Onde estava e o que fazia há 30 anos? Esta edição do Jornal da Batalha assinala mais um a...

O que quebra um vime, não quebra um feixe

Quanto tempo tem 30 anos. A resposta é impossível. As nossas experiências, a maneira como as...