Município da Batalha - Museu da Comunidade Concelhia da Batalha

Espaço do Museu

O museu dos sentidos. Compreender

Temos vindo, ao longo das últimas edições, a referir os diversos recursos de inclusão disponíveis no Museu da Comunidade Concelhia da Batalha (MCCB).

Procurando servir "todos", no respeito pela diferença, reúnem-se soluções que, somadas, procuram tornar o espaço acessível, confortável e seguro. Apesar de alguns recursos serem e direcionadas para públicos com necessidades especiais (ex.: braille ou língua gestual portuguesa), é filosofia deste Museu integrar de forma discreta e efetiva, permitindo que os mesmos recursos e serviços possam ser fruídos por pessoas com ou sem deficiência.

Desde que o MCCB foi inaugurado, há oito anos, tem-se vivenciado na prática a missão traçada.

Aponte-se, a título de exemplo, a utilização objetos para tocar (originais e réplicas) que estão na exposição ou que são reservados para visitas guiadas. Estas peças não só potenciam a qualidade da visita para pessoas cegas ou com baixa visão, como são de grande interesse para contexto de visitas com crianças, idosos ou grupos de pessoas com deficiência intelectual.

A experiência dos sentidos em conjunto com a narrativa criada e suscitada no programa expositivo procura potenciar a melhor compreensão dos conteúdos. Foi com esse objetivo que na equipa fundadora do museu se juntaram especialistas em museologia, museografia e acessibilidade, com resultado de trabalho assente em:

- discurso narrativo escrito (informação - a vários níveis - nas paredes e equipamento audiovisuais);

- discurso narrativo falado (informação nos audioguias e nos equipamentos multimédia)

- conteúdos gráficos (posicionamento e tamanho dos textos, imagens, esquemas, ilustrações, vídeos);

- conceção plástica e apresentação dos objetos (seleção e seu posicionamento nos expositores e sua relação com os conteúdos);

- recursos multissensoriais ao longo do espaço (trilho tátil, braille, peças para tocar; mobiliário acessível, zonas de descanso…).

Todos os elementos se relacionam num espaço em que as cores e a iluminação foram criteriosamente selecionados para oferecer conforto e segurança a quem visita o Museu.

A postura integradora do MCCB revela-se, assim, numa estratégia de comunicação multimodal que permite o acesso ao conhecimento através de suportes variados. Ao acrescentar experiências multissensoriais à informação convencional alarga-se a experiência museológica a todos os visitantes, incluindo aqueles que possam ter limitações intelectuais, sensoriais ou linguísticas, simplesmente pelo facto de serem estrangeiros ou não dominarem a língua portuguesa.

Reforça-se ainda a importância das visitas guiadas e do papel do guia e do mediador entre a exposição e os visitantes. Atender às características do grupo na generalidade e na individualidade é relevante nestas atividades, cujo objetivo assenta na maior proximidade com os diversos públicos na aprendizagem conjunta, sendo o património da Batalha um veículo essencial nesta relação.

Aguardamos a sua visita, relembrando que aos primeiros domingos do mês, pelas 11h30, há visita guiada para todos os interessados. Nesse dia, em especial, o Município da Batalha, convida os munícipes a visitar o museu gratuitamente. Recorde-se que o MCCB está de portas abertas ao público de quarta-feira a domingo (10h00-13h00; 14h00-18h00).

 


NESTA SECÇÃO

“A Quaresma do deserto não é negação da autoestima”

(…) A nossa Quaresma recorda, não apenas a história de Israel, mas também a história pessoal...

Nª Srª das Candeias e a tradição dos fritos na Freguesia de São Mamede

Diz a tradição popular portuguesa que a 2 de fevereiro, dia de Nossa Senhora das Candeias, s...

Duarte Costa, um mestre da guitarra quase esquecido

Acontece que no domínio das artes, seja na literatura, na pintura, na escultura ou na música...