Joana Magalhães

Pestanas que Falam

O cansaço

"Estou cansado" - deve ser a frase que mais ouvimos nos dias de hoje. Todos a dizem, a toda a hora e por todas as razões. "Estou cansado". Quando estou cansado, estou cansado, quando estou triste, estou cansado e quando estou feliz, estou cansado. O cansaço é quase uma forma cultural de se estar. Não se sai de casa porque se está cansado, não se vai ao jantar, porque se está cansado. E o cansaço é real e chega a cada um de nós.

A verdade é que o cansaço nem sempre é mau. Há o cansaço bom e o cansaço mau. O bom é o das pessoas que fazem as coisas que gostam e quando se deitam o corpo parece dormente e o sono é tranquilo. É o cansaço da felicidade, das coisas boas, da agenda preenchida com eventos desejáveis. É o cansaço feliz, o cansaço que sabe bem e que por muito que seja cansaço, não nos leva a cancelar qualquer atividade vindoura.

O cansaço mau não é assim. Tirar-nos a energia, tira-nos a vontade de fazer mais e melhor. Tira-nos a vontade de fazer. É o dos que têm a agenda preenchida mas com coisas que não gostam, que não lhes dá prazer. Esse é o cansaço que dá dores de cabeça e nos impede de dormir.

Todos passamos pelas duas fases do cansaço e, muitas vezes, o nosso "estou cansado" tem múltiplas razões de ser que não passam necessariamente pelo cansaço físico que se sente mas por muitas outras questões. "Estou cansado" é o verdadeiro "preciso de parar" nos dias de hoje.

E é assim quando se está feliz e quando se está triste.

Afinal, quantas vezes já disseste "estou cansado" na última semana?


NESTA SECÇÃO

Meio Ambiente: para quando uma conversa séria?

Os flagelos ambientais no nosso Município Apesar da nossa pequena dimensão, a Batalha é r...

Gestão e serviço público

Os serviços públicos existem para manter as sociedades organizadas, tendo a obrigação de dis...

As singularidades da alma

O grupo Expensive Soul constitui um daqueles casos de eclectismo da música, havendo recebido...