Nova legislação "salvaguarda" eventos no mosteiro

O presidente da câmara municipal revelou esta sexta-feira, 8, que a nova legislação sobre o uso de monumentos Panteão Nacional “salvaguarda” a realização dos eventos programados para o Mosteiro da Batalha.

O autarca, Paulo Batista Santos, anunciou que “o ministro da Cultura contactou o presidente da câmara e o presidente da assembleia municipal a informar que as preocupações expressas pelo município foram salvaguardadas no despacho que altera o regulamento do uso dos monumentos Panteão Nacional”.

O presidente da câmara adianta, numa mensagem publicada pelas 11h10 na sua página no Facebook, tratar-se de “uma excelente notícia para a Batalha e a garantia de que o mosteiro continuará a ser vida e cultura”.

O autarca agradece “ao ministro, aos deputados, à diretora geral do património cultural e a todos os que se mobilizaram nesta questão", e “em particular, expressa o maior reconhecimento ao diretor do Mosteiro da Batalha, Joaquim Ruivo”.

Recorde-se que a Assembleia Municipal da Batalha (AMB) mostrou-se “preocupada” com a eventual interdição de atividades no Mosteiro da Batalha, “com consequências nefastas para o trabalho colaborativo a desenvolver” pela Direção-Geral do Património Cultural, direção do monumento e câmara municipal.

A AMB tinha decidio por unanimidade expressar ao Governo a sua “forte preocupação e elevada reserva face às recentes declarações” do ministro da Cultura, na sequência da polémica causada pelo jantar de encerramento da Web Summit, no Panteão Nacional.


NESTA SECÇÃO

Alberto Sardinha, uma das maiores figuras da cultura em Portugal

Círio   Caminho a descontar pecados em cada passo, em busca do santo da minh...

Nos 521 anos da Vila e do Município da Batalha

  A Pomba (Sobre o poema “o Arco” do poeta hispano-árabe de Múrcia Al-Buqayra, do sécu...

Pandemia retira ao Mosteiro da Batalha liderança em visitantes

Os museus, monumentos e palácios nacionais registaram uma quebra de 73,1% de visitantes em 2...