Nova legislação "salvaguarda" eventos no mosteiro

O presidente da câmara municipal revelou esta sexta-feira, 8, que a nova legislação sobre o uso de monumentos Panteão Nacional “salvaguarda” a realização dos eventos programados para o Mosteiro da Batalha.

O autarca, Paulo Batista Santos, anunciou que “o ministro da Cultura contactou o presidente da câmara e o presidente da assembleia municipal a informar que as preocupações expressas pelo município foram salvaguardadas no despacho que altera o regulamento do uso dos monumentos Panteão Nacional”.

O presidente da câmara adianta, numa mensagem publicada pelas 11h10 na sua página no Facebook, tratar-se de “uma excelente notícia para a Batalha e a garantia de que o mosteiro continuará a ser vida e cultura”.

O autarca agradece “ao ministro, aos deputados, à diretora geral do património cultural e a todos os que se mobilizaram nesta questão", e “em particular, expressa o maior reconhecimento ao diretor do Mosteiro da Batalha, Joaquim Ruivo”.

Recorde-se que a Assembleia Municipal da Batalha (AMB) mostrou-se “preocupada” com a eventual interdição de atividades no Mosteiro da Batalha, “com consequências nefastas para o trabalho colaborativo a desenvolver” pela Direção-Geral do Património Cultural, direção do monumento e câmara municipal.

A AMB tinha decidio por unanimidade expressar ao Governo a sua “forte preocupação e elevada reserva face às recentes declarações” do ministro da Cultura, na sequência da polémica causada pelo jantar de encerramento da Web Summit, no Panteão Nacional.


NESTA SECÇÃO

A Defesa do Património

Evocação de Santa Maria-a-Velha Foi aqui que me plantaram dando-me a primazia de se...

D. Manuel I

Venturoso porque colhi a seara que outro semeou mas desventurado porque a Histór...

Projeto inovador de Tobias Monteiro leva teatro às escolas do concelho

“A arca dos contos em movimento” já iniciou a sua viagem com vista à descentralização cultur...