Município garante testes à Covid-19 em escolas e lares

A autarquia acordou com a Cruz Vermelha a realização mil testes rápidos à Covid-19, pelo método de deteção de antigénio e orientados para as escolas e Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) do concelho.

Esta medida “surge em complemento à capacidade de testagem que o município possui por método molecular de RT-PCR e testes serológicos”, explica a câmara municipal.

“Estes testes são cruciais nesta fase da pandemia, uma vez que permitem uma resposta rápida em surtos epidémicos em creches, escolas e lares através de rastreio e identificação precoce de possíveis casos positivos, por forma a tomar decisões rápidas de triagem para a segregação de clusters”, refere o presidente do município, Paulo Batista Santos.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) considera essencial a disseminação de testes rápidos de Covid-19, com resultados em 15 a 30 minutos, e o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, que está a avaliar a nova geração de testes rápidos de despiste de Covid-19, considera que os testes rápidos apresentam “vantagens”, já que têm uma “baixa complexidade de execução” e permitem “fazer o diagnóstico perto do doente, do caso suspeito”, e obter “um resultado de forma rápida”.

Entretanto, por despacho datado de 30 de setembro, a câmara municipal decidiu prolongar até ao final do ano de 2020 medidas de isenção de taxas municipais, como sejam as mensalidades relativas aos serviços de atividades de tempos livres dos estabelecimentos de ensino público ou a isenção de taxas e rendas nos espaços concessionados pelo município, incluindo lojas, quiosques e estabelecimentos de alojamento (hostel), bem assim dos valores de ocupação de espaço público pelo comércio, restaurantes, cafés e pastelarias, inclusive na ampliação do espaçamento das esplanadas.

O nível de alerta do país passou de situação de contingência para situação de calamidade, no dia 15 de outubro, podendo o Governo adotar, sempre que necessário, medidas que se justifiquem para conter a pandemia, desde restrições de circulação a outras medidas que concreta e localmente venham a verificar-se justificadas.

Vacina contra a gripe

comparticipada para seniores

A câmara municipal anunciou que comparticipa o custo da administração da vacina contra a gripe nas farmácias às pessoas com mais de 60 anos, “com o objetivo de estimular a opção da vacinação e descongestionar os centros de saúde do concelho”.

Esta medida, orçada em 25 mil euros, conta com a colaboração das farmácias com sede no concelho, enquadra-se no regulamento municipal de comparticipação de medicamentos e na “opção de reforço de medidas de promoção da saúde e de prevenção da doença que o município tem em curso desde o início da pandemia”.

"Estamos a atenuar a pressão dos centros de saúde para as farmácias, que neste momento já é elevada, e simultaneamente, criamos as condições para que mais pessoas tenham acesso à vacina da gripe, como recomenda da Direção Geral de Saúde (DGS)", explica Paulo Batista Santos.

Segundo a DGS, no contexto de pandemia Covid-19, “justificam-se medidas excecionais e específicas no âmbito da vacinação gratuita contra a gripe, nomeadamente o início mais precoce em relação aos anos anteriores, a vacinação faseada e a inclusão na gratuitidade dos profissionais que trabalham em contextos com maior risco de ocorrência de surtos e/ou de maior suscetibilidade e vulnerabilidade”.

A vacina contra a gripe é gratuita, no Serviço Nacional de Saúde, para os grupos descritos em detalhe na referida norma, com particular incidência nos cidadãos com idade igual ou superior a 65 anos.

Pese embora a vacinação ser gratuita para os cidadãos com 65 ou mais anos de idade, “em algumas situações, o custo de ministrá-la numa farmácia é neste momento de 2,5 euros”, explica a autarquia.

De igual modo, embora sem comparticipação, a DGS recomenda também a vacinação das pessoas com idade entre os 60 e os 64 anos. Neste caso, as pessoas que não estejam abrangidas pela vacinação gratuita podem adquirir a vacina nas farmácias. Se entregarem uma prescrição médica, beneficiam de uma comparticipação de 37%.

Nesse quadro, a câmara municipal comparticipar o custo da administração da vacina nas farmácias às pessoas com mais de 60 anos.

A USF Condestável asseguraa a vacinação na extensão de saúde do Reguengo do Fetal e por marcação nos polos da Batalha e São Mamede.


NESTA SECÇÃO

Protestos contra o fecho da extensão de saúde do Reguengo

Há seis extensões de saúde encerradas na região, incluindo a do Reguengo do Fetal, no âmbito...

Municípios contra aumento da taxa de resíduos para o dobro

Os municípios portugueses dizem-se surpreendidos com "aumento brusco e excessivo" da Taxa de...

Ciclovia São Mamede a Fátima custa meio milhão de euros

Os municípios da Batalha e de Ourém anunciaram em outubro que submeteram uma candidatura con...