Célia Ferreira

AMHO A Minha Horta

Mexer na terra, aprender com a natureza

O mês de Agosto é mais tempo de colheitas do que sementeiras - os rigores do tempo, com muito calor e horas de sol intenso, não são propriamente favoráveis às sementeiras. Mas as colheitas, essas estão a bom ritmo.

Mexer na terra, aprender com a natureza, é algo que me dá imenso prazer, e foi esse prazer e paixão que tive oportunidade de partilhar com as crianças na escola, e foi tão interessante ver como já temos crianças que têm uma horta para cuidar, ou cuidam com os seus familiares, diria mesmo que isso lhes dá competências para o básico da vida.

Já o ditado é antigo: “Trabalho de criança é pouco, mas quem o nega é louco”. Ao convidar as crianças para as tarefas, procuro fazê-lo de modo a que seja um desafio divertido e não uma obrigação, assim ligam-se melhor.

Desde pequenas que as crianças cá em casa andam descalças na terra, pegam em enxadas e vão à descoberta, conviver com os utensílios desde cedo ajuda-os a lidar melhor com eles. Por cá confesso que sempre que vou apanhar batatas tenho de me descalçar, faz parte do meu processo de me ligar com a ação e sabe tão bem.

Podemos viver com menos bens materiais, mas a água e os alimentos são o nosso básico essencial. Verifica-se em diversos quintais escassez de água, o que é de facto preocupante. Desde pequena que vejo os exemplos em casa de consumo consciente de água, seja em casa ou no quintal, e relembro que é importante que cada um de nós faça a sua parte, evitando gastos desnecessários.

Na horta, aconselho a colocar uma camada de erva seca ou papel a cobrir o solo, pode assim evitar a evaporação acentuada, minimizar o desperdício de água e evitar a erosão do solo. Se possível utilize a rega com o sistema de gota-a-gota - desse modo é mais controlada e o solo absorve-a mais lentamente, o que evita também a evaporação. Pequenos gestos que podem fazer a diferença no médio/longo prazo.

Hortícolas para semear e/ou plantar ao ar livre: acelgas, alfaces, beringelas, beterrabas, beldroegas, cenouras, coentros, couves-repolho, couve-rábano, espinafres, feijões diversos, malaguetas, milho, nabos, pepinos, pimentos, physalis, salsa, tomates, rabanetes, rúcula.

jardim, semear e/ou plantar: amores-perfeitos, asteres, goivos, margaridas, e prímulas.

Se soubermos observar e aprender com a natureza, teremos muito a aprender.

Na horta podemos cultivar bons alimentos e bons sentimentos!

Boas colheitas.


NESTA SECÇÃO

Há mais vida para além do mosteiro…

Está adaptação da conhecida citação atribuída ao ex-presidente Jorge Sampaio – “há mais vida...

Transferência de competências do poder central para o local

Por princípio e por experiência, sou favorável a todas as diligências que permitam prestar s...

Sem medos

Caro/a (s) Munícipes da Batalha, permitam-me que comece este artigo citando aqui a grande mu...