“MemMakers permite tirar as artes culturais da estagnação”

Válter Cardoso, fundador da MemMakers, que tem sede na Batalha, explica os objetivos da empresa e as razões de ter surgido durante a pandemia

 

Quando e com que objetivos nasceu a MemMakers?

A MemMakers nasceu no auge da pandemia, quando os eventos culturais e profissionais foram cancelados. É uma empresa de eventos e consultoria. Surgiu com o objetivo de reinventar o conceito de evento, adaptando-o à realidade atual, cumprindo as regras de segurança e higiene exigidas pela Direção Geral de Saúde.

 

Portanto, pretende manter a atividade cultural?

O projeto “Cultura em Movimento” permite realizar eventos ao vivo e tirar as artes culturais da estagnação, proporcionando momentos de alegria, paz, emoções e liberdade às populações. Este projeto permite também dar visibilidade a artistas/grupos/artes de cada concelho. A empresa tem o certificado Clean&Safe emitido pelo IGAC e a MemMakers é uma marca registada.

 

Atua em todo o país ou apenas no concelho?

O projeto está elaborado para ser realizado em qualquer ponto do pais, podendo ser adaptado a qualquer realidade.

 

Que sectores abrange direta e indiretamente?

O projeto consiste em valorizar a cultura e gerar trabalho aos agentes necessários à realização dos eventos, nomeadamente os artistas e grupos, os técnicos de som e de luzes, as agências de marketing e publicidade, as empresas de vídeo, fotografia e transmissão online streamming e a pirotecnia.

 

O que envolve muita gente?

Estamos a falar que para realizar este projeto contamos com 30 pessoas, desde técnicos, staff, artistas de todas as áreas, com a parceria de duas empresas no Brasil (Rio de Janeiro e Londrina – Estado do Paraná). O projeto já foi apresentado oficialmente e o feedback tem sido bastante positivo.

 

Os municípios, por exemplo, têm colaborado?

Os municípios têm optado por outras soluções, muitas das vezes sem a visibilidade que este projeto cultural permite dar à cultura. De qualquer forma, vamos adaptando este projeto à medida da evolução desta pandemia. Nos próximos tempos esperamos poder realizar os eventos de uma forma livre e sem constrangimentos, o que nos leva a querer que tudo ficará normal.

 

Têm parcerias?

Temos uma parceria com o meu grande amigo Tiago Pinho (musico, produtor, compósito e cantor dos temas, “Momento”, “Vai ficar Tudo Bem” e “Refugio”). Ele tem sido parte integrante neste projeto. Conto também com parceiros sociais. Neste momento já investimos 10 mil euros em marketing, publicidade, logística e noutras necessidades.

 

Quais são os principais produtos/serviços da empresa?

O Projeto “Cultura em Movimento”, animação de rua (que tem maior procura), eventos e consultoria, agenciamento de artistas e eventos corporativos.

 

Em que projetos está envolvido?

Neste momento estou a trabalhar num projeto de animação de rua nas praias de Vieira e de São Pedro de Moel. Consiste em atuações de bandas de rua durante três horas, aos fins de semana até dia 12 de setembro, proporcionando sorrisos e muita alegria a todas os seus veraneantes. Esse projeto tem sido bastante aplaudido pelo comércio local e transeuntes, tendo sido patrocinado e apoiado pelo município da Marinha Grande.


NESTA SECÇÃO

Município garante “contas saudáveis” para manter impostos

A Assembleia Municipal da Batalha (AMB) aprovou por unanimidade no dia 30 de setembro a manu...

Empreendedores incubam na Casa do Conhecimento

A Casa do Conhecimento e da Juventude acolhe desde o dia 16 de outubro cinco projetos de emp...

Programa de apoio ao emprego operacionalizado pela ADAE

A Associação de Desenvolvimento da Alta Estremadura (ADAE) vai operacionalizar o novo progra...