Joana Crispim

Mestre em Psicologia Clínica e formada em Hipnose

Medo de aranhas?

 

Como é que um animal tão pequeno pode despertar um medo tão grande? Este medo exacerbado de aranhas designa-se por aracnofobia. É a mais comum das fobias e possivelmente a mais frequente em animais. Provoca reações inconscientes e involuntárias, desde taquicardia, sudorese, sensação de pânico, tremores, rigidez muscular, etc. A ansiedade gerada por fobias é incoerente com o perigo real a que na verdade corresponde. Quando o aracnofóbico perceciona o estímulo fóbico automaticamente ele vai desenvolver este medo inconsciente e como consequência a sua reação vai se traduzir na retenção da respiração, o que vai fazer com que o cérebro dele deixe de se oxigenar, o fluxo da circulação sanguínea diminuí o que provoca uma irrigação inconveniente no cérebro.

O aracnofóbico têm a perceção de que o medo que sente é inconsciente e totalmente exagerado, no entanto, ele não tem a capacidade de o controlar.  

Estas pessoas constroem mapas mentais de evitamento, ou seja, mesmo de forma inconsciente evitam sítios específicos onde facilmente poderiam encontrar aracnídeos. Ter repulsa a aranhas não significa que a pessoa sofra de aracnofobia, no entanto, quando este medo condiciona a sua vida então estamos certamente perante um aracnofóbico.

Uma paciente que acompanhei com diagnóstico severo de aracnofobia revelou diversos comportamentos de evitamento no seu dia-a-dia, claramente que ela tinha limitado a sua rotina a este medo excessivo. Todos os dias, ela percorria com os olhos os cantos do hall de entrada do prédio, não estacionava o carro na garagem, sentava-se em locais estratégicos, etc. Estes e outros comportamentos que ela adotava iam contribuindo para a formação e o recalcamento de crenças de evitamento e fuga no seu quotidiano. Claramente que esta fobia tinha dominado a rotina desta mulher.

Tal como a maioria das fobias, o aracnofóbico pode recuperar com tratamento psicológico desde que ajustado ao seu caso específico.

                                                                                                       


NESTA SECÇÃO

Consulta pré-concecional: O que é? Qual a importância?

Já lá vai o tempo em que não era possível programar o nascimento de um filho. Não havia méto...

Diabetes: um dia sem açúcar em família

A International Diabetes Federartion (IDF) comemora anualmente no dia 14 de novembro o Dia M...

Maioria tem falta de dentes e há mais a não irem ao dentista

Mais de 30% da população revela que nunca vai ao médico dentista ou apenas vai em caso de ur...