Luto municipal pelo comendador Batista de Matos

O funeral do comendador José Batista de Matos, que faleceu em Portugal este domingo, 1, deve realizar-se na quarta-feira, 4, pelas 11 horas, em Alcanadas, no concelho da Batalha, e onde era natural.

A Câmara da Batalha decretou três dias de luto municipal.

 

A notícia do falecimento da personalidade da emigração portuguesa da década de 60 do século passado, foi dada pelo presidente da Câmara da Batalha, na noite de domingo, na sua página no Facebook.

"É com profunda tristeza que recebi a notícia do súbito falecimento de José Batista de Matos, um ilustre batalhense e um homem extraordinário na defesa dos interesses dos seus concidadãos em Paris", refere Paulo Batista dos Santos.

O autarca endossa "à sua esposa, filhos e demais familiares uma palavra de profundo pesar. Os seus amigos, todos nós que beneficiámos da sua amizade, não o esqueceremos!".

O comendador José Batista de Matos, natural de Alcanadas, no concelho da Batalha, de 84 anos, chegou ao bairro de lata (bidonville) de Champigny, nos arredores de Paris, em abril de 1963.

A emigração foi o caminho que encontrou para escapar à ditadura de Salazar, que o obrigava a viagens clandestinas de bicicleta à Marinha Grande para ir buscar o Avante (o jornal oficial do PCP) ou a escutar às escondidas em casa a rádio Voz da Liberdade e a Rádio Moscovo.

O batalhense foi encarregado-geral no metro de Paris, ajudou a construir 23 estações de metro na cidade e chefiou centenas de homens. Mas, no maio de 68 associou-se aos protestos e tornou-se num dos instigadores de uma greve numa estação da capital francesa.

Ainda hoje é o rosto da emigração lusa no Museu Nacional da História da Imigração, em Paris, onde há um desenho a ilustrar o momento em que com dois companheiros penduraram uma bandeira vermelha numa grua em protesto contra a manifestação de apoio ao general de Gaulle.

O batalhense foi fundador da Associação Portuguesa de Fontenay-sous-Bois e conselheiro das comunidades portuguesas durante oito anos. Foi um dos promotores da Semana Cultural de Alcanadas e esteve também ligado à Rádio Batalha.

Fundou a Associação Portuguesa Cultural e Recreativa dos Portugueses de Fontenay-sous-Bois, esteve na origem da geminação da cidade com a Marinha Grande, e promoveu a construção do único monumento ao 25 de Abril existente fora de Portugal.

No dia 2 de junho último, o presidente da câmara de Fontenay-sous-Bois, Jean-Philippe Gautrais, entregou a Medalha de Honra da Cidade ao comendador José Batista de Matos, considerado um dos mais reconhecidos rostos da comunidade franco-portuguesa.

“Homenagem a um homem que se destacou na vida cívica da cidade e região e reconhecimento pelo mérito do seu percurso pessoal e profissional, sobretudo ao longo dos 55 anos em que já reside em França”, refere consulado-geral de Portugal em Paris no seu site.

“Cidadãos como o comendador José Batista de Matos, pela sua dedicação e empenho nas questões cívicas e associativas bem como a sua ligação à história da emigração portuguesa em França, são um exemplo para todos, e em especial para as gerações mais novas. O reconhecimento da câmara de Fontenay-sous-Bois a este singular cidadão ficou registado como um momento solene muito merecido”, adianta.

No dia 10 de junho de 2011, o Presidente da República, Cavaco Silva, atribuiu condecorações a 19 personalidades das comunidades portuguesas e a cidadãos estrangeiros, por ocasião do Dia de Portugal, entre os quais José Batista de Matos, que recebeu a comenda da Ordem de Mérito.


NESTA SECÇÃO

Gabriel O Pensador é cabeça de cartaz na Batalha

O cantor, compositor e escritor brasileiro Gabriel O Pensador é o cabeça de cartaz das Festa...

Pão furado garante dois dias de festa na Lapa Furada

A Associação Cultural e Desportiva da Lapa Furada (ACDLF), em São Mamede, no concelho da Bat...

JB faz 28 anos: Um milhão de carateres de agradecimento

As primeiras palavras desta edição têm essencialmente três destinatários: os Leitores, Anunc...