Laço Azul junta 400 crianças em nome do seu bem-estar

A Praça Mouzinho de Albuquerque, na Batalha, acolheu no dia 1 maio mais de 400 crianças da rede concelhia do pré-escolar, com o intuito de assinalar o Mês de Prevenção dos Maus-Tratos na Infância.

Sob o lema “Serei o que me deres…que seja Amor”, a Batalha voltou a associar-se esta campanha, que tem como principais objetivos promover os direitos das crianças, relações de proximidade, de afeto e uma parentalidade positiva entre pais e filhos e sensibilizar a comunidade em geral para a importância da prevenção dos maus-tratos na infância e juventude.

O Mês de Prevenção dos Maus-Tratos na Infância teve origem na História do Laço Azul, no ano de 1989, na Virgínia, Estados Unidos da América, quando uma avó, Bonnie Finney, amarrou uma fita azul à antena do seu carro “para fazer com que as pessoas se questionassem”.

A história que Bonnie Finney contou aos elementos da comunidade que se revelaram “curiosos” foi trágica e sobre os maus-tratos à sua neta, os quais já tinham morto o seu neto de forma brutal. E porquê azul? Porque apesar do azul ser uma cor bonita, Bonnie Finney não queria esquecer os corpos batidos e cheios de nódoas negras dos seus dois netos. O azul servir-lhe-ia como um lembrete constante para a sua luta na proteção das crianças contra os maus-tratos.


NESTA SECÇÃO

Festas da Batalha atraíram 60 mil pessoas

As Festas da Batalha, que terminaram este domingo, 18, “terão atraído à vila mais de 60 mil ...

Batalha distingue cidadãos exemplares com medalhas de mérito

A autarquia da Batalha homenageou com medalhas de mérito, na sessão solene do Dia do Municíp...

28º Jantar da diáspora batalhense marcado para 16 de novembro

No 28º Jantar Anual de Confraternização da Diáspora Batalhense está marcado para o dia 16 de...