Dário Florindo

Coordenador Financeiro do Núcleo Territorial de Leiria da Iniciativa Liberal

Iniciativa Liberal: uma esperança para a Batalha

Preso entre séculos de uma “monarquia republicana” e o Estado Novo, Portugal conta atualmente com uma democracia refém do socialismo e social-democratas - duas faces da mesma moeda. Assim, sem surpresa, o Estado é agora o agente mais influente na economia, apresentando-se não como um árbitro, mas como o jogador principal.

A adesão de Portugal à CEE em 1986 foi, num primeiro momento, um enorme sucesso e o PIB per capita aumentou consideravelmente até à introdução do Euro. Contudo, no meio do aparente sucesso, faltou planear e garantir o futuro. O nosso futuro. Quando analisados os últimos 20 anos, o PIB per capita permaneceu estagnado e estamos hoje no pódio dos mais pobres da UE. Na Batalha, a realidade dos números desenha semelhante fado com um poder de compra 15% abaixo da média nacional (INE,2019).

Mas crueldade dos números não apaga a história do nosso concelho, que é marca de orgulho de todo um povo e confunde-se na identidade e no reconhecimento do “ser português”. Palco de grandes momentos históricos, como as lutas decisivas travadas há mais de 600 anos que garantiram a independência de Portugal, e casa do mais belo monumento do país, a Batalha merece estar no centro da discussão das políticas económicas e sociais a nível nacional.

No entanto, é quase exclusivamente pelo empenho dos seus cidadãos e empresários, que continuam incansavelmente a lutar pelo sucesso dos seus negócios, que a Batalha continua hoje a aparecer nos mapas de Portugal. Sem vocês, o nosso concelho seria apenas aquilo que as últimas décadas de governação revelaram: um concelho sem estratégia nem rumo, esquecido no meio de um palco de batalhas políticas efémeras, um concelho dependente de fenómenos turísticos dos seus vizinhos…enfim, uma Batalha sem futuro nem esperança.

Assim, o debate em Portugal e na Batalha é cada vez mais sobre o fracasso do Estado, sobre a sua incapacidade de fornecer serviços e infraestruturas públicas de qualidade, num país em que quase um em cada dois euros produzidos vai para o Estado. Num país sem esperança, com um Estado endividado e intrusivo que oferece apenas uma carga fiscal em máximos históricos.

Na política nacional, o PSD anseia (a tudo o custo) substituir-se ao PS que vai hipotecando o país à medida dos seus interesses. Também na Batalha, encontramos ora mestres com tiques de realiza (como se o poder fosse infinito), ora príncipes dos seus umbigos que servem bem, aqui e ali na dependência dos seus interesses.

A social-democracia não é distinguível, nem alternativa ao socialismo. O contraponto? O liberalismo.

Um liberalismo centrado no cidadão e nos seus interesses. Que ignora o debate entre esquerda e direita, mas foca-se na capacitação e no fortalecimento das pessoas acima do Estado. Com políticas liberais, procuramos descentralizar e limitar a intervenção do Estado, devolver às pessoas a liberdade de escolha e aos empresários a vontade de investir e ver o esforço compensado na riqueza.

É esta a visão que a Iniciativa Liberal traz a Portugal. Aqui na Batalha, muitos foram os que nas últimas eleições votaram pela mudança e escolheram a alternativa liberal. Estamos aqui! A Iniciativa Liberal chegou à Batalha!

Daqui em diante iremos apresentar a cada mês um tema, com propostas e soluções concretas para uma Batalha mais próspera, livre e com mais transparência na governação autárquica.

Segue-nos nas redes sociais. Junta-te a nós!

Por Portugal, pela Batalha, mais liberal, com futuro.


NESTA SECÇÃO

Prorrogação de benefícios fiscais e medida extraordinária

A Assembleia da República decretou, nos termos da alínea c) do artigo 161.º da Constituição,...

Dia internacional dos museus recupera e reimagina o futuro

Como assegurar as visitas aos museus em tempos de pandemia? Como dar continuidade às ativida...

A Estrutura Residencial para Idosos (ERPI) da Santa Casa da Misericórdia da Batalha

A Santa Casa da Misericórdia da Batalha irá, muito brevemente, colocar à disposição da popul...