IMI: moradores da Batalha poupam 852 mil euros

A Câmara da Batalha vai propor à Assembleia Municipal a manutenção da taxa mínima prevista na lei, de 0,30%, de Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) no próximo ano, o que representa “uma diminuição de receita estimada em 852 mil euros”.

A taxa do IMI foi reduzida em 2014 de 0,35 para 0,30 e, acrescendo o valor previsto para 2018, o município “abdica de 2,5 milhões de euros de receita, que devolve às famílias e às empresas”, explica a câmara, num comunicado divulgado na terça-feira, 14.

“O nosso objetivo é manter uma política de impostos locais baixos e que favoreçam as famílias que residem no concelho, realizado de forma responsável e sem comprometer o equilíbrio das contas municipais”, adianta o presidente da autarquia, Paulo Batista Santos.

A autarquia quer, por outro lado, “aumentar para o triplo o valor da taxa nos prédios urbanos em ruínas, e a uma majoração em 50% aplicável aos prédios rústicos com áreas florestais em situação de abandono, como medida de prevenção aos fogos florestais”, refere o comunicado.

Outra proposta visa a “isenção parcial de 50% na taxa do IMI a aplicar aos prédios de interesse público das coletividades, organizações não governamentais e associações não lucrativas”, com sede na Batalha.

O município aprovou ainda a manutenção do IMI familiar, com deduções crescentes por número de filhos a cargo do agregado familiar.


NESTA SECÇÃO

Crédito Agrícola da Batalha entrega prémios a seis PME

A Caixa de Crédito Agrícola Mútuo da Batalha (CCAMB) promoveu no dia 28 de junho uma cerimón...

Concelho representado no salão imobiliário de Paris

A Câmara Batalha, enquadrada na participação da Comunidade Intermunicipal da Região de Leiri...

Município em 8º lugar entre os que têm melhor governação

O estudo “Rating Municipal Português”, revelado no dia 7 de maio, coloca o município em 8º l...