Ana Caseiro (Cozinheira)

À Mesa

Gulodices! Chocolate!

Quem nunca, ao final do dia, ao relaxar no sofá lhe apeteceu um (ou três ou quatro) quadrados de chocolate e refletir sobre o dia?

O chocolate, enquanto produto que hoje consumimos, passou por uma evolução extensa.

Com as descobertas, os espanhóis trouxeram o cacau, e o chocolate, para a Europa onde se populariza a partir do século XVII. Era considerado um produto novo, e rapidamente se popularizou.

Era um produto ausente em Portugal. De tal forma que a famosa doçaria conventual portuguesa não regista qualquer receita que inclua chocolate, contrariamente ao que acontece em Espanha onde encontramos vários conventos e mosteiros com especialidades chocolatadas.

Rapidamente o chocolate entrou na moda nas cortes europeias. De bebida passa a uma grande variedade de produtos como as tabletes e bombons. Também os produtos que se juntam ao chocolate variam muito, desde elementos doces a outros amargos, como a pimenta ou gengibre. A panóplia de produtos oferecidos daria uma lista interminável.

Temos o chocolate “amargo”, que resulta de grande concentração de cacau, sem leite e sem açúcar. Temos ainda o chocolate “de leite”, possivelmente o de maior consumo, com adição de açúcar e de leite. O chocolate “em pó” é outra variedade - é genericamente chocolate desengordurado, quase sempre sem açúcar e o indicado para confecionar bebidas. Temos ainda o chocolate “branco” que é constituído por manteiga de cacau, adocicado, com leite e baunilha. Existe ainda um chocolate “de cobertura” com alguma manteiga de cacau e usado especialmente por profissionais para fazer coberturas ou acabamentos a chocolate.

Hoje os grandes produtores das américas são o México, Bolívia, Brasil, Costa Rica, El Salvador e Granada. A África Ocidental é outra grande área produtora, designadamente Costa do Marfim, Gana, Madagáscar, Nigéria, São Tomé e Príncipe e Tanzânia. Na Ásia encontramos produção relevante nas Filipinas, Índia, Malásia e Vietname.

A ciência recente também atribui ao chocolate amargo algumas funções terapêuticas, benéficas como estimulante cerebral e do sistema circulatório, para além de ser considerado um alimento energético. Evidentemente que os excessos podem desenvolver obesidade. In “Virgilionogueiragomes.com”

Podemos encontrar variadíssimas receitas utilizando o cacau e o chocolate, como bolos, bombons, mousses, gelados, biscoitos, tortas, tartes e espumas. Nem consigo escolher uma receita usando esta maravilha! Mousse de chocolate com azeite e flor de sal, chiffon de chocolate e laranja, torta de chocolate de leite com framboesas, ou biscoitos de passa uvas e chocolate! Bombons com amêndoas e cacau!

Sendo o produto de qualidade qualquer receita bem aplicada de certeza que sai bem. Depois de muitas sugestões, escolhi uma receita deliciosa “Brigadeiros de chocolate branco e coco”. Esta receita da para 55 unidades.

 

Ingredientes:

1 lata de leite condensado

200 gramas de chocolate branco

200 gramas de coco ralado

50 gramas de manteiga

Óleo para untar tabuleiro

Formas de papel

Preparação:

Primeiro num sauté (frigideira) torre o coco ralado até ganhar uma cor dourada e reserve.

De seguida num tacho ao lume misture o leite condensado e o chocolate partido em pedaços até derreter. Depois adicione a manteiga e 150 gramas de coco torrado sempre a mexer o aparelho até o preparado descolar do fundo. Verta o preparado para um tabuleiro untado com óleo (com um pincel ou papel espalhe o mínimo possível de óleo).

Deixe arrefecer a temperatura ambiente para conseguir moldar em pequenas bolas, passe pelo restante coco ralado e coloque em formas de papel. E está pronto a partilhar e devorar!

 

 


NESTA SECÇÃO

CER - Comunidades de Energia Renovável

Foi recentemente aprovado em Assembleia Municipal, a constituição de uma CER - Comunidade de...

O urso de papel

Na propaganda pró-Putin que invadiu os OCS, as mentes mais confusas que, pelos vistos, perde...

A guerra da Ucrânia e a política das selfies

Os sérios desafios que o mundo enfrenta hoje – de crises climáticas a pandemias, do agravame...