Golpilheira pede ajuda à câmara para pagar dívidas

O presidente e o tesoureiro da Junta de Freguesia da Golpilheira alertaram a Assembleia Municipal da Batalha, na reunião realizada a 27 de setembro, para a necessidade de ser encontrada uma solução para as dívidas deixadas pelo anterior executivo (PSD).

O presidente da junta da Golpilheira, José Filipe (PS), referiu que a autarquia não “tem hipótese de fazer o pagamento" das dívidas e lembrou que "os credores estão à procura do dinheiro e têm razão".

No final de setembro, a junta da Golpilheira emitiu um comunicado à população onde referia ter encontrado "dívidas decorrentes de mandatos anteriores, sendo a mais relevante realizada durante o período da campanha eleitoral”

O tesoureiro da junta de freguesia, José Carlos Ferraz, reforçou que “as dívidas que continuam por liquidar se referem a obras realizadas no final do mandato do anterior executivo da freguesia” e, como José Filipe, lamentou “a falta de apoio do município na resolução da questão”.

O presidente da câmara municipal, Paulo Batista Santos, pelo contrário, garantiu que o município está disponível para colaborar, mas "não paga despesa ilegal". As contas da junta, referentes a 2017, estão aprovadas apenas no período posterior à eleição do atual executivo.

"Quando tivermos condições para pagar despesa válida, estamos disponíveis para pagar. O montante é irrisório e resolveremos na hora. Mas não fomos nós que fizemos a obra", disse Paulo Batista Santos, citado pelo jornal Região de Leiria, adiantando que a questão das contas da junta tem de ser resolvida com o Tribunal de Contas.


NESTA SECÇÃO

Criada Comissão de Defesa do Reguengo contra novas pedreiras

A Comissão Especial de Defesa do Reguengo do Fetal (CEDRF), criada na sequência de uma assem...

Candidatos a deputados alertados para os perigos de novas pedreiras

O presidente da Câmara da Batalha alertou os cabeça de lista às próximas eleições legislativ...

Nova pedreira na freguesia do Reguengo quase aprovada

A Câmara da Batalha revelou que a Direção Geral de Energia e Geologia (DGEG) manifestou a in...