Francisco Oliveira Simões (Historiador)

Crónicas do Passado

FITA Magazine: a nova revista internacional de artes e cultura

Durante o mês de abril o mundo das artes e cultura assistiu ao aparecimento de uma nova revista, que promete levar a criatividade e engenho a todos os ateliers, galerias, museus e universidades. A FITA Magazine apareceu como um eco da plataforma de emprego Friends in The Arts, criada e gerida pela curadora e investigadora Francisca Gigante, que procura abrir todas as portas para os milhares de artífices e agentes culturais em busca de trabalho.

Eu e a Francisca editámos esta revista bianual com o propósito de apresentar um lugar plural, onde todos estão representados. Por isso mesmo, lançámos um open cal em fevereiro, que se revelou um estrondoso sucesso. Chegaram-nos inúmeros artigos, entrevistas, investigações, obras de arte e poemas oriundos do Canadá à Austrália. A perspetiva de podermos divulgar talentos ainda desconhecidos do grande público ao lado de grandes nomes internacionais encheu-nos de alegria e motivação.

Neste primeiro volume o leitor é levado numa empolgante viagem de gondola pelos canais de Veneza, onde nasceu a Friends in The Arts, numa homenagem à sereníssima cidade que completa 1600 primaveras em 2021. A temática a que nos dedicamos nesta edição é o “Atlas Invisível”, a arte sem fronteiras ou limites. Através do olhar de Italo Calvino e Jorge Luis Borges somos guiados pelas correntes da História e da Arte, que banham a nossa imaginação.

Entre os portentosos contributos de mestres da literatura, história, pintura, escultura, cinema, desenho, teatro, fotografia e música encontramos nomes como José Bernardo da Fonseca, Ricardo Ramos Gonçalves, Maysa Aquino, Juliana Matsumura, Mikha-ez, Beatriz Arce Adrados, Anouchka Gerard, Sophia, Throuvala, entre muitos outros.

Para além disso, entrevistámos figuras proeminentes da cultura que já fazem parte da História Contemporânea. Alberto Manguel, o inesquecível estudioso apaixonado pela leitura, que doou a sua biblioteca pessoal à cidade de Lisboa. Amor Towles, o magnifico romancista, que vive no passado através da vida dos seus personagens. O escultor engenhoso Léo Caillard, epiteto máximo do revivalismo do estilo artístico da Antiguidade Clássica. Nick Waterhouse, músico de incontáveis talentos, que acabou de lançar o álbum “Promenade Blue”. Mas os artífices são tantos que seria impossível falar de todos neste artigo.

Agora a FITA Magazine está nas livrarias, quiosques, museus e nas mãos de todos os leitores, para que possam testemunhar este manifesto da democratização do emprego nas artes e cultura. A gondola vai partir, podem sentar-se e desfrutar desta odisseia.

 

 


NESTA SECÇÃO

Ainda o Covid-19, os negacionistas, os irresponsáveis e os egoístas

Desde o início da pandemia, provocada pelo vírus SARScoV-2 que, sobre o mesmo e por todo o m...

A Estrutura Residencial para Idosos (ERPI) da Santa Casa da Misericórdia da Batalha

A Santa Casa da Misericórdia da Batalha irá, muito brevemente, colocar à disposição da popul...

Manjericão ajuda no sabor e produção dos tomateiros

Neste mês alguns hortelãos mais pioneiros começam já a colher os primeiros legumes de primav...