Ana Caseiro (Cozinheira)

À Mesa

Fava rica, oh rica fava!

Já é tempo dela! De nome científico Vicia Faba, a fava é uma leguminosa grão (como a feijoca, grão, feijão e chícharo). Tal como a ervilha, a fava está envolvida numa vagem alongada e curvada de cor verde. Na sua constituição, tem a nível proteico entre 20% a 25% do seu peso e 15% de quantidade de fibras, além de alguns minerais como o cálcio, potássio e ferro. Quanto a gordura, contém uma quantidade muito reduzida, o que é fundamental para a alimentação saudável para qualquer idade. Na roda dos alimentos recomenda-se a ingestão mínima diária de 80 gramas, o que equivale a três colheres de sopa de favas frescas cruas.

É possível encontrar esta leguminosa de várias maneiras, frescas (sazonal), congeladas e secas (acessíveis todo o ano).

Sobre esta nobre leguminosa encontrei várias formas de a confecionar em sopas, purés, saladas frias e cozidas. Além da famosa “Favas com chouriço” como dizia José Cid na música “Favas com chouriço, o meu prato favorito”, guisadas com carnes de porco (com entrecosto, toucinho, entremeada, chouriço e negrito consoante o gosto, a sazonalidade e região do país e quem adicione ovos escalfados), encontrei umas favas fritas onde se utilizam as secas um delicioso petisco para acompanhar nas tardes de verão.

Primeiro demolhar as favas secas durante a noite, de manhã tirar da água e secar muito bem, de seguida cortá-las ao meio longitudinalmente e por fim fritar em óleo quente. Tirar o excesso de óleo e temperar de sal fino e picante. Uma forma diferente e saborosa de degustar favas.

 

Apresento de seguida uma sugestão saborosa e rica com favas, tomate cherry, feijão branco e bacalhau para duas pessoas.

2 Postas de bacalhau

140 gramas de favas

100 gramas tomate cherry

120 gramas feijão branco

80 gramas de azeitona preta sem carroço

4 dentes de alho

Azeite

Louro q.b.

Hortelã 1 molho

 

Primeiro trata-se da mise-en-place (preparação) dos legumes. Cortar os tomates cherrys ao meio. De seguida descascar as favas, retirando a película e assim fica com duas meias de favas. As favas tem que ser bringidas (ferver alimento em água ou gordura durante pouco tempo) num tacho com água e sal durante quatro minutos - retirar da água e deixar arrefecer.

O feijão branco e a azeitona preta escorrem-se (ou se tiver oportunidade de cozinhar feijão branco melhor ainda mais saboroso irá ficar) e lavam-se com água corrente.

Pica-se dois dentes de alho e por fim corta-se a hortelã em juliana fina (cortes em tiras muito finas).

O próximo passo é confitar o bacalhau (confecionar o alimento em gordura durante longo período de tempo e com temperatura baixa). Num tacho colocar o bacalhau, dois dentes de alho com casca e folha de louro, cobrir com azeite até o bacalhau estar submerso. Acenda o fogão e quando o bacalhau começar a deitar suco, baixe o lume para brando e deixe 30 minutos. Retirar o bacalhau e aproveitar o azeite excedente para saltear os legumes.

Reserve o restante azeite para outras receitas com bacalhau no frigorífico.

Enquanto o bacalhau confita, comece a saltear os legumes. Num sauté colocar azeite e alho picado, deixar refogar, de seguida adicionar as favas e tomates cherrys, passados dois minutos adicionar o feijão branco e as azeitonas, sempre a mexer os legumes. Desligar do lume e adicionar a hortelã.

Espero que gostem desta receita e aceito sugestões sobre a zona região, desde restaurantes, iguarias, costumes gastronómicos e tradições.

 

 


NESTA SECÇÃO

A bazuca: o rato que pariu a montanha

A bazuca anda na boca do povo: trata-se dos dinheiros da União Europeia que vêm para suporta...

Adaptação do calendário fiscal

No dia 23 de abril de 2021, foi publicado, o despacho do Secretário de Estado dos Assuntos F...

Fundos europeus para as empresas – programa InvestEU

Os eurodeputados aprovaram em sessão plenária de 8 a 11 de março de 2021, as regras relativa...