Escultor da Batalha autor de leão de 15 toneladas

No dia em que comemorou 114 anos, o Sporting inaugurou uma nova estátua de 15 toneladas, oferecida pela Filstone, da autoria do escultor Cláudio Monteiro, natural da Batalha.

O leão em pedra natural foi inaugurado no dia 1 de julho, junto ao Estádio José de Alvalade, em Lisboa, no decorrer da cerimónia de aniversário clube. A estátua foi esculpida a partir de um bloco de rocha calcária com 60 toneladas.

O dia ficou também marcado pela entrega simbólica de um brasão histórico do clube ao administrador da Filstone, Ricardo Jorge. A peça, que faz parte do espólio do Museu do Sporting, foi encontrada nas escavações da “bancada nova” do antigo Estádio José Alvalade, em 1983, e está agora apadrinhada pela Filstone.

“Este é um dia muito emotivo para mim, estavam aqui guardadas algumas surpresas para a Filstone. Estou muito sensibilizado com estas surpresas todas. Espero que esta obra venha dar sorte ao Sporting e, de alguma maneira, ajude o clube ao trazer-nos mais vitórias”, referiu Ricardo Jorge.

Além da escultura, que figura agora na Praça Centenário, a Filstone ofereceu ao Sporting uma outra estátua em pedra exposta na Academia de Alcochete.

“Este é o dia em que todos os sportinguistas estão de parabéns, estamos a festejar 114 anos de história, glória e muito amor por este clube. Esta obra merecia uma cerimónia aberta aos sócios mas, devido às circunstâncias que vivemos, não foi possível”, afirmou Frederico Varandas, presidente do clube leonino. “Conseguimos, juntamente com a Filstone, tanto para o estádio como para a academia, dois belos Leões, com força, jovens, com ambição, vitalidade e coragem. Esta é uma obra que os Sportinguistas merecem e que esta Praça merece”, acrescentou.

O autor da peça, Cláudio Monteiro, é escultor há quase 25 anos e colaborador da Filstone. “Esta peça é uma homenagem a todos os que participaram na história do Sporting” e é dedicada ao “mais notável adepto e ao anónimo”, explica o escultor, natural de Alcanadas, Batalha.

Para Cláudio Monteiro, a escultura é uma peça “carregada de simbolismo” já que o leão representa “o poder, a força, a autoridade, o triunfo e a proteção”. Já a postura do leão reflete “uma situação de não retorno”, refere.


NESTA SECÇÃO

Gala solidária angaria fundos para as crianças da APPC-Leiria

A Associação Portuguesa de Paralisia Cerebral de Leiria (APPC-Leiria) promove no Teatro José...

“Município chegou a ser 'advertido' pela DGS devido às máscaras”

O presidente do Município da Batalha, Paulo Batista Santos, fez em agosto um balanço da form...

Reciclagem cresce 18% na área de intervenção da Valorlis

A Valorlis anunciou no início de agosto que registou no primeiro semestre de 2020 um aumento...