Escola de Hotelaria cria polo no Colégio de São Mamede

A Associação de Ensino e Formação (Insignare) anunciou esta terça-feira, 30, que “pretende arrendar as instalações do Colégio de São Mamede”, no Concelho da Batalha, “de forma a alargar a sua área de atuação e instalar um polo da Escola Profissional de Hotelaria de Fátima (EHF)”.

“A oportunidade de instalar um novo polo da EHF, dando pleno corpo e materialização a diversos considerandos, arrendando provisoriamente o Colégio de São Mamede na totalidade das suas instalações”, por um período mínimo de 10 anos, resulta do facto de, pelas “determinações relativas aos contratos de associação, ficar sem operação no próximo ano letivo”, explica a direção da Insignare em comunicado.

“Com esta opção, cria-se ainda a possibilidade futura de novas áreas de expansão do ensino profissional no distrito de Leiria, ficando assim consolidada a posição da Insignare do ponto de vista regional, no distrito de Santarém e Leiria”. As aulas no novo espaço devem começar no ano letivo 2019/2020.

A EHF e o Colégio de São Mamede distam entre si menos de cinco quilómetros, o que foi “determinante” para a decisão da associação, assim como “a larga proveniência de alunos da região de Batalha, Porto de Mós, Leiria, Alcobaça”. “Foi neste pressuposto, e no superior interesse de racionalidade financeira da instituição, que se afigurou a opção de investimento agora em curso”, refere o comunicado.

Para a associação, que gere também a Escola Profissional de Ourém, “os recursos têm que ser pensados de forma criteriosa e não se pode hipotecar o futuro financeiro da instituição”, pelo que “esta opção é a que melhor responde temporariamente às necessidades, sobretudo quando tem em “carteira” a construção [de um novo edifício] no âmbito do próximo quadro comunitário 2030”.

“A Insignare vai crescer a partir de Fátima. Não vai sair do edifício dos Monfortinos, vai crescer a partir daí.

A direção estudou vários cenários, edifícios e possibilidades: este foi o que conjugou melhor os critérios: investimento, adaptações e alterações de edifício e proximidade”, salienta.

As instalações que de momento a EHF ocupa, enquanto não garante financiamento para a construção do novo projeto (já com terreno adquirido), estão no limite em capacidade para receber alunos [300 atualmente], “tornando-se a sua gestão diária quase impraticável ao nível das áreas técnicas e de especialidade (como sejam as cozinhas, o laboratório de pastelaria, bar)”.

O presidente da Câmara da Batalha já disse que “o município apoia esta decisão e felicita a opção realizada de alargar a oferta do ensino profissional de qualidade num eixo turístico estratégico centralizado em Fátima e que se estende à Batalha e a toda região de Leiria e de Santarém”.

“É uma excelente notícia para toda a região e para o turismo, a decisão da Insignare de arrendar as instalações do Colégio de São Mamede, para aí instalar um novo polo da EHF”, adiantou Paulo Batista Santos.


NESTA SECÇÃO

Cinquentenários da Batalha recordam outros tempos

O grupo dos “Nascidos em 1968 no Concelho da Batalha” comemorou no dia 3 de novembro os 50 a...

Batalhenses festejam diáspora em Paris

O 27º Jantar Anual de Confraternização da Diáspora Batalhense está marcado para este sábado,...

Fórum de solicitadores debate justiça na Batalha

O IV Fórum de Solicitadores e Agentes de Execução de Leiria e Coimbra, organizado pela Ordem...