A Opinião de Augusto Neves

Jurista e presidente da Concelhia da Batalha do PS

Eleições europeias 2019

Decorreram no passado dia 28.5.2019 as eleições para o parlamento Europeu.

O Parlamento Europeu parece longe e distante mas está bem presente na vida de cada um de nós. Basta lembrar que é o parlamento que escolhe o presidente da comissão e que tem hoje poderes muito acrescidos incluindo os de fiscalizar a ação da própria comissão.

É por isso que o Partido Socialista apostou forte em obter uma vitória expressiva nestas eleições e foi o que aconteceu, a bem de todos os portugueses. O segundo partido mais votado (o PSD) ficou a 11 pontos de distância.

Na batalha o Partido Socialista não ganhou as eleições mas teve um excelente resultado. Um resultado histórico porque foi o melhor de sempre em qualquer ato eleitoral. Depois de ter ganho em duas mesas de voto a contagem final deu a vitória ao PSD por pouco mais de 100 votos. É certo que foi por “poucochinho” tão poucochinho que deixou os seus dirigentes convencidos que tinham perdido.

Não encontro outra explicação para que o seu presidente da concelhia não tenha respondido à mensagem que democraticamente lhe enviei a dar os parabéns pela maior votação obtida. De facto, só o atordoamento provocado pelos resultados eleitorais pode justificar tal lamentável comportamento.

Por isso o PSD tremeu, não ganhou para o susto. É um bom sinal para o PS e para todos os batalhenses. É sinal que que começam agora a manifestar o seu descontentamento porque sentem confiança no Partido Socialista. E podem contar connosco.

O Partido Socialista não descansará enquanto os cidadãos da Batalha não consigam exercitar os seus direitos porque a câmara é obstáculo a essa realização, porque como já dissemos em outros momentos a câmara tem de ser um facilitador (desde que cumpridas as regras legais e regulamentares) do pleno exercício da cidadania. E não é isso que hoje acontece, lamentavelmente.

Não há verdadeira democracia quando os cidadãos veem coartados os seus direitos porque não são da mesma cor política de quem lidera o executivo.

É que o seu presidente, embora já não usando o título de Dr. de que nunca foi titular, continua, ainda assim, convencido que os demais cidadãos caminham uns patamares abaixo dele e que por isso dependem da sua boa vontade para poderem exercer seus direitos juridicamente tutelados.

O desafio que hoje vos deixo é que compareçam nas assembleias municipais e exponham, sem medo, sem quaisquer constrangimentos, o que vos preocupa, o que vos afeta na relação com a autarquia.

Saudações socialistas


NESTA SECÇÃO

Os “Pardais” Henriques que prosperam na luta popular

Com a falta de interesse generalizado em discutir as questões estruturais que verdadeirament...

A importância das IPSS e associações e do voluntariado

As IPSS (instituições particulares de solidariedade social) e as associações de bombeiros, d...

As eleições de 6 de outubro enquanto verdadeiro ato de cidadania

No próximo dia 6 de outubro terão lugar as eleições legislativas que levarão a eleição de no...