A Opinião de António Lucas

Ex-presidente do Município da Batalha

Eleições autárquicas

Os batalhenses decidiram mudar e manifestaram uma enorme maturidade democrática.

Parabéns aos vencedores e honra aos vencidos. Agora é tempo de arregaçar as mangas, pôr a casa em ordem e trabalhar intensamente em prol do concelho e das suas gentes, seja maioria, seja oposição.

A Batalha será mais um, dos muitos concelhos do país, a ser governado por uma lista de independentes, começando a ficar claro que o povo vai acreditando cada vez menos nos partidos políticos e nas suas "jotas", para governarem as autarquias, mormente quando sentem que a governação é má e inadequada para o desenvolvimento do concelho.

No distrito de Leiria já são quatro os concelhos governados por eleitos em listas de independentes. Os partidos políticos que se cuidem e mudem de estratégia, afinem as escolhas dos candidatos, alterem a forma de governo das concelhias, onde em muitos casos, um ou dois mandam e decidem, sem dar cavaco a ninguém, ou então preparem-se para ter cada vez menos poder nas autarquias.

O que o povo quer e precisa nas autarquias é de política local assertiva e completamente focada na resolução dos problemas dos cidadãos, sem gastos sumptuosos e pouco preocupada com selfies e com show off. O que se precisa é de gente com capacidade de decisão, com visão, que ouça e saiba ouvir, com discernimento para delegar bem e nas pessoas certas, controlando bem a delegação e a execução de ações e projetos que contribuam para a melhoria da qualidade de vida dos munícipes e para a geração de desenvolvimento e riqueza.

Por parte da oposição, o que é desejável é que faça parte da solução e não tente atrapalhar através de jogos baixos, a governação, para que quem governa se possa focar com todas as forças na resolução de problemas do concelho, sem te que andar permanentemente a perder tempo com problemas , muitas vezes sem acrescentarem nada, levantados pelas oposições.

As oposições devem fazer oposição democrática. E o que é isto? É simples: votar a favor dos projetos e medidas boas para o concelho, sugerindo e introduzindo melhorias que acrescentem valor aos projetos. Votar contra os projetos que considerem inadequados para o concelho, mas apresentando alternativas credíveis, melhores e económica e financeiramente equilibradas.

Desta forma estão a ajudar o concelho e a respeitar os eleitores que neles votaram.

Tenho a certeza que a nova maioria assim fará e tenho alguma esperança que a oposição pense mais no concelho e pense menos em política, nos seus aspetos negativos.

Também faço votos para que a publicidade recente à boa saúde das finanças autárquicas se venha a confirmar, de forma a que a nova gestão possa trabalhar intensamente a olhar para o futuro, sem ter que perder tempo, forças e dinheiro, a tapar buracos do passado recente.

Será também importante que os diversos licenciamentos de última hora estejam devidamente enquadrados na lei, para que não advenha dai um eventual mau enquadramento legal, com gravíssimas consequências para os munícipes e para a câmara.

Para terminar, desejo votos de sucesso para todos os eleitos, já que o vosso sucesso, será o sucesso de todos nós munícipes do Concelho da Batalha.

Bom mandato.


NESTA SECÇÃO

“A Viagem do Descobrimento”, de Eduardo Bueno

Continua por explicar a falta duma reacção dos governos e da gente da Cultura aos ataques de...

O que está em causa nas eleições autárquicas de 26 de setembro

Faltam duas semanas para as eleições autárquicas, um período que foi sendo preenchido com a ...

Fechado para obras

Acabo de ser avisado que o meu espaço cronístico está interdito para obras. Eu até estava ch...