Joana Pinto

Médica Interna de Medicina Geral e Familiar - USF Condestável

Dar vida, gota a gota

Doar sangue é um gesto simples que pode salvar vidas. Anualmente, no dia 14 de Junho, celebra-se o Dia Mundial do Dador de Sangue. O lema da campanha da Organização Mundial de Saúde (OMS) deste ano é “Ajude outra pessoa. Dê sangue. Partilhe vida.”. A campanha visa enaltecer histórias de pessoas cujas vidas foram salvas devido à dádiva de sangue, de forma a motivar os dadores de sangue a fazê-lo regularmente e incentivar, particularmente os jovens com mais de 18 anos, a tornarem-se dadores de sangue.

A doação de sangue é um ato voluntário de generosidade, não remunerado e ainda pouco difundido na população.

Podem dar sangue todas as pessoas com bom estado de saúde, com hábitos de vida saudáveis, peso igual ou superior a 50kg e idade compreendida entre os 18 e 65 anos. No entanto, o limite máximo de idade para uma primeira dádiva é de 60 anos.

Os homens podem dar sangue de 3 em 3 meses e as mulheres de 4 em 4 meses, sem nenhum prejuízo para si próprios. A dádiva de sangue não deve ser efetuada em jejum nem depois de uma refeição copiosa.

Embora a maioria das pessoas seja um potencial dador de sangue, poderá, em alguns casos, existir algumas restrições. Há uma variedade de razões pelas quais não é possível dar sangue, nomeadamente, situações que ponham em causa a segurança do dador ou quando a dádiva de sangue pode provocar problemas no recetor.

O candidato a dador é sempre observado pelo médico previamente à colheita, para avaliar o seu estado de saúde mediante a história clínica. A entrevista médica tem como objetivo salvaguardar quer a saúde do dador quer do doente que irá receber o sangue. Se houver alguma anomalia, o dador poderá ser suspenso temporária ou definitivamente, dependendo da situação clínica.

O Instituto Português do Sangue e da Transplantação (IPST) tem disponível uma aplicação gratuita para smartphones que permite ao dador receber alertas sobre o estado da reserva nacional de sangue, a melhor altura para fazer a sua doação e ainda o lugar mais próximo onde pode efetuá-la. Além disso, sempre que um tipo de sangue estiver em falta, os dadores desse grupo sanguíneo são avisados.

Além dos locais fixos dos Centros de Sangue do IPST (Lisboa, Porto e Coimbra) realizam-se, frequentemente, campanhas para a dádiva de sangue em várias zonas de Portugal. Para mais informações sobre as sessões móveis de colheita, consulte o site www.dador.pt ou informe-se junto do seu médico assistente.


NESTA SECÇÃO

Consulta pré-concecional: O que é? Qual a importância?

Já lá vai o tempo em que não era possível programar o nascimento de um filho. Não havia méto...

Diabetes: um dia sem açúcar em família

A International Diabetes Federartion (IDF) comemora anualmente no dia 14 de novembro o Dia M...

Maioria tem falta de dentes e há mais a não irem ao dentista

Mais de 30% da população revela que nunca vai ao médico dentista ou apenas vai em caso de ur...