A Opinião de André Loureiro

Vereador na Câmara da Batalha

Coragem e a ambição para um futuro melhor

O plano que o consultor António Costa Silva apresentou ao Governo com uma “Visão Estratégica para o Plano de Recuperação Económica e Social de Portugal 2020-2030” é um bom documento e apresenta dez áreas em que Portugal deve apostar para conseguir recuperar a economia na próxima década. No documento refere-se uma missão que se destaca face às outras: criar condições para construir uma economia socialmente justa, que possa contribuir para a criação de emprego, defesa da economia e do bem-estar social. Este terá de ser o caminho!

Se é certo que numa primeira fase da pandemia, em Portugal, conseguimos atenuar a curva de casos, proteger o Serviço Nacional de Saúde e evitar uma tragédia maior; mais recentemente a evolução da crise de saúde pública agravou-se e poderá mesmo ocorrer uma segunda vaga de Covid-19.

No concelho da Batalha tivemos uma capacidade de reação extraordinária, a câmara municipal em que tenho honra de colaborar tem sido rápida na reação, responsável na ação e imaginativa nas soluções, tendo muitas vezes avançado quando a administração central não dava resposta. Com a colaboração de todos e empenho das várias entidades locais, temos conseguido travar a propagação do vírus, e sobretudo dispomos de condições para pensar e trabalhar no relançamento da economia e com segurança ajudar na missão de recuperar o emprego e o bem-estar social no concelho da Batalha.

Sabemos que a vida tem de regressar à normalidade e, uma vez mais, a câmara municipal não enjeita as suas responsabilidades, tendo uma postura pró-ativa no apoio às famílias que perderam rendimentos e no apoio à atividade empresarial. Além da emergência sanitária, temos agora a emergência económica e social. E essa deve ser a nossa maior preocupação.

Nestes dias foram publicados dados oficiais pelo INE que colocam a Batalha como o terceiro concelho com melhor desempenho da região de Leiria, superior à média nacional, tendo em conta os rendimentos dos agregados familiares residentes em 2018. Um facto assinalável ao nível da evolução do rendimento disponível e que em muito se deve ao crescimento da economia local. O concelho da Batalha tem uma assinalável pujança económica, com mais de 2000 empresas, que no seu cômputo representam mais de 7.280 postos de trabalho. Somos ainda o primeiro concelho da região e um dos poucos do país que regista entre 2010 e 2018 um crescimento populacional. Mas o facto de termos um tecido empresarial dinâmico não ilude o forte impacto que o período de confinamento teve na economia concelhia. Esta é a realidade. O nosso objetivo não pode ser outro que não seja recuperar os níveis de desenvolvimento que até finais de 2019 estávamos a construir.

A todos desejo um bom feriado municipal e que na evocação de D. Nuno Álvares Pereira e dos heróis da Batalha de Aljubarrota de 1385, possamos encontrar a coragem e a ambição para vencer mais este desafio.


NESTA SECÇÃO

Música fácil, mas só na aparência

Muito em voga nas décadas de cinquenta e sessenta do século XX, o Easy listening, também con...

Gestão pública e orçamentos

Estamos em época de aprovação de orçamentos, quer do Estado, quer das autarquias. Como já...

Uma horta biológica também precisa de ser “alimentada”

O outono e, para mim, como se nos convidasse ao recolhimento e este ano até é “obrigatório” ...