Célia Ferreira

AMHO A Minha Horta

Conservar e aproveitar o que a natureza oferece

A natureza é generosa e frequente nesta época. O nosso quintal está produzir mais do que necessitamos no momento. Com os excedentes podemos fazer diversas coisas, partilhar com outros, ou conservar.

Para conservar a batata, por exemplo, na época em que era pequena, havia o hábito de as colocar espalhadas sobre um estrado, num sótão da adega, onde ficavam protegidas da luz e era local arejado.

Atualmente, coloco-as em caixas da fruta, previamente forradas com papel, e empilho-as em local escuro e arejado. Para evitar colocar químicos de síntese, cubro-as com folhas de eucalipto e vou borrifando o exterior das caixas com vinagre, para assim manter afastados insetos voadores, que se guiam pelo cheiro e podem colocar em causa o amadurecimento das batatas.

Se o local for arejado o suficiente, e não tiver demasiada humidade, não criaram grelos antes de tempo.

Outra opção é realizar diversas sementeiras ao longo do ano. Existe uma época mais própria para a sua plantação, mas existem variedades que podem ser plantadas em outras épocas.

Um coisa que tenho reparado, nas diferentes variedades e que me faz pensar, é que as de ciclo mais longo de crescimento costumam agradar-me mais ao palato - ganha-se na firmeza e no sabor.

Ora você já sabe, que retiro sempre ilações entre a horta e a vida. Pois bem, esta observação remete-me para o facto de perceber que algumas coisas na nossa vida ganham mais sabor e substancia só ao fim de alguns anos vividos (ou seja, não ganhamos só rugas, ganhamos a experiência da vivência dos anos, que nos permite ser pessoas mais “inteiras”)

Para conservar o feijão seco, pode deixar por uns dias no congelador, pois assim evita o aparecimento de gorgulho. E os tomates são tão produtivos que já temos as reservas para o inverno na arca.

Os métodos de frio, para mim, ainda continuam a ser os melhores. Deixo uma dica que vejo por aí: quanto mais cedo após a colheita forem congelados, mais nutrientes conservam. Ou seja, se pretender no futuro fazer doce ou outro tipo de conserva, pode fazê-la mais tarde, devendo congelar logo os frutos assim que os colhe.

Hortícolas para semear e/ou plantar ao ar livre: acelgas, alfaces, beringelas, beterrabas, beldroegas, cenouras, coentros, Couves-Repolho, couve-rábano, Espinafres, malaguetas, milho, nabos, pepinos, pimentos, physalis, salsa, tomates, Rabanetes, rúcula.

Jardim, semear e/ou plantar: amores-perfeitos, asteres, goivos, margaridas, e prímulas.

A vida ganha mais sentido, quando aumentamos o número de experiências e aprendizagens que desenvolvemos. No passado dei uma aula sobre alimentação vegetariana e fizemos um sumo revitalizante, que fica delicioso e tem imensos nutrientes interessantes, deixo a receita:

- Uma maça, meio pepino, três folhas de couve (pode ser folhas de acelga, beterraba, ou rama de cenoura), um punhado de hortelã, meia chávena de sementes de girassol previamente demolhadas (germinadas), uma cenoura média e sumo de meio limão.

Colocar tudo na liquidificadora e depois coar com um pano. Quanto mais liquido mais facilmente se conserva e é também mais facilmente assimilado pelo nosso corpo.

É um sumo natural, que, entre outros benefícios, reforça o nosso sistema imunológico.

Se soubermos observar e aprender com a natureza, teremos muito a aprender.

Na horta podemos cultivar bons alimentos e bons sentimentos!

Boas Colheitas.


NESTA SECÇÃO

Gestão e serviço público

Os serviços públicos existem para manter as sociedades organizadas, tendo a obrigação de dis...

As singularidades da alma

O grupo Expensive Soul constitui um daqueles casos de eclectismo da música, havendo recebido...

Tomate, uma fruta ou vegetal?

Em termos botânicos é considerada fruta porque surge da parte reprodutiva da flor onde as se...