Concelho recebe espetáculos para promover património da humanidade

A candidatura “Lugares Património Mundial do Centro – Rede Cultural 2.0”, submetida pelo Município da Batalha à Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Centro (CCDRC), permitindo, assim, a concretização de um programa cultural em rede, a executar até julho de 2022 em parceria com os municípios de Tomar, Coimbra e Alcobaça.

As ações a realizar contemplam seminários, atividades culturais e exposições, com uma dotação aprovada de 300 mil euros. Na Batalha destacam-se diversos espetáculos de fado, um concerto itinerante com a participação de filarmónicas, o grupo de música tradicional Ahkorda e Quinta do Bill e o “Festival à Janela” a realizar nas freguesias com transmissão online.

O principal objetivo é concretizar um programa integrado de valorização cultural e turística, combinando os recursos localizados na região Centro e inscritos na lista do Património Mundial da Humanidade da UNESCO, designadamente o Convento de Cristo em Tomar, o Mosteiro de Alcobaça, o Mosteiro da Batalha e a Universidade de Coimbra – Alta e Sofia.

Os objetivos da candidatura aprovada encontram-se em conformidade com a estratégia do Turismo do Centro e com as prioridades de investimento previstas no Programa Operacional Regional do Centro 2014-2020, com o intuito de incrementar o Turismo Cultural, manter o emprego e alargar os potenciais beneficiários e a captação de fluxos turísticos.

A iniciativa “Lugares Património Mundial do Centro – Rede Cultural 2.0” surge como continuidade do projeto aprovado em 2017, então designado “Lugares Património Mundial do Centro” e liderado pela Entidade Regional do Turismo do Centro, que concretizou dezenas de iniciativas nos monumentos e lugares património da humanidade do centro.

“A lógica de rede e de parceria entre os municípios envolvidos nesta operação traduzir-se-á no cumprimento dos indicadores previstos e que visam o aumento do número de visitantes aos lugares património da humanidade, objetivo essencial nesta fase de pós-pandemia”, refere o presidente do município, Paulo Batista Santos.

 


NESTA SECÇÃO

Batalha, Estaleiro da Arte

  Vocação   A Batalha foi terra de escultores (pois não é escultura o trabalho d...

Mosteiro digitaliza o seu ficheiro cronológico de fontes manuscritas

O Centro de Informação e Documentação do Mosteiro da Batalha teve a iniciativa de mandar dig...

Escritora do Reguengo do Fetal lança livro que é “choque intelectual”

A autora Margarida Poças Serrano apresenta o seu livro “Uma vida luso francesa – O Fado da M...