Combate às descargas ilegais de resíduos de obras

O Município da Batalha anunciou a 10 de dezembro que vai implementar um programa de gestão de resíduos de construção e demolição (RCD), com “o objetivo de reduzir as descargas ilegais deste tipo de resíduos”.

Por outro lado, pretende “promover a interação dos diversos agentes ao longo da cadeia associada aos RCD, de forma a incrementar uma organização da cadeia de valor mais sustentável, em linha com os princípios da economia circular”.

Este programa inicia-se no próximo ano, com um investimento inicial de 20 mil euros, a que “acrescem novos recursos municipais afetos a este objetivo de prevenção ambiental e diminuição da pegada de carbono, sendo uma medida enquadrada pelas áreas-chave da Estratégia Nacional de Educação Ambiental 2020 (ENEA2020)”, explica a autarquia.

O sector da construção civil “é responsável por uma parte muito significativa dos resíduos gerados em Portugal, situação comum à generalidade dos demais estados membros da União Europeia, em que se estima uma produção anual global de 100 milhões de toneladas de resíduos de construção e demolição (RCD)”.

“Para além das quantidades muito significativas que lhe estão associadas, sabe-se que o fluxo de resíduos apresenta outros riscos que dificultam a sua gestão e controlo, pelo que se exige das entidades uma ação mais próxima dos produtores de RCD”, adianta.

“Queremos contribuir para a minimização dos prejuízos ambientais decorrentes da gestão dos resíduos de obras de construção, sendo determinados na fiscalização e parceiros na recolha e recondução destes materiais a aterro legalizado”, sublinha o presidente da câmara municipal, Paulo Batista Santos.


NESTA SECÇÃO

Aprovados concursos públicos para pavilhão e ciclovia

A câmara municipal aprovou em outubro a abertura de concursos públicos relativos aos projeto...

Centro defende ampliação do hospital de Leiria

O conselho regional das comunidades intermunicipais da Região Centro aprovou uma proposta de...

Valorlis em campanha de inclusão para aumentar a reciclagem

A Environment Global Facilities (EGF) e as suas 11 concessionárias – entre as quais a Valorl...