Claustro real limpo com obras de 694 mil euros

O concurso para a realização de obras no claustro real do Mosteiro Santa Maria da Vitória foi lançado no dia 12 deste mês em Diário da República, com um preço base de 694.277 euros.

Segundo o documento, o concurso prevê a recuperação dos claustros de João I e Afonso V, numa intervenção que tem um prazo de execução de um ano.

O prazo para a apresentação de candidaturas conta-se até ao 15º dia do envio do anúncio para publicação e para a apresentação de propostas prolonga-se até ao 25º dia. Os concorrentes são obrigados a manter as suas propostas 66 dias a contar do termo do prazo para a sua apresentação. Isto, para significar que o início da sobras ainda vai demorar alguns meses. O critério de adjudicação é a melhor relação preço-qualidade.

Recorde-se que no verão de 2014 os terraços do Mosteiro da Batalha abriram pela primeira vez ao público, após uma intervenção na ordem dos 750 mil euros.

A intervenção estava prevista há alguns anos pela Direção-Geral do Património Cultural e proporcionou-se em 2013 num contexto de obras de conservação e requalificação. Os trabalhos incluíram a limpeza dos terraços, colocação de juntas novas, consolidação de elementos pétreos, o restauro de alguns pináculos e do Coruchéu da Cegonha.

Na sequência desse projeto de conservação, seguiu-se um de requalificação, a instalação de rampas para permitir a visita aos terraços.

Quanto à obra agora anunciada, o diretor do Mosteiro da Batalha, Joaquim Ruivo, considera que "é prioritária e há muito que esperava a sua concretização”.

A intervenção destina-se sobretudo à limpeza do claustro real e sua conservação. Trata-se de limpar as fachadas dos claustros, muito expostas aos ventos e à chuva e onde o sol incide menos.

Mandado erguer por D. João I para assinalar a vitória na Batalha de Aljubarrota, a 14 de agosto de 1385, o Mosteiro de Santa Maria da Vitória integra, há 30 anos, a lista do Património da Humanidade da UNESCO - Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura.


NESTA SECÇÃO

Aproveitam a pandemia para poluir o Lena e a via pública

O Município da Batalha “lamenta” que “gente sem escrúpulos” se aproveite da “tempestade” pro...

Covid-19: Batalha não cobra tempos livres até final do ano

O Município da Batalha decidiu isentar o pagamento da totalidade das mensalidades dos centro...

Covid-19: Aumenta para três o número de casos na Batalha

As autoridades de saúde pública confirmaram a existência de três residentes no Concelho da B...