Cavaleiro ligado ao concelho leva tauromaquia à China

O projeto turístico New Português Guizhou Pecuária, em que participam o cavaleiro tauromáquico Marco José, com ligações à Batalha, e os empresários Joaquim Rodrigues, de Leiria; Wang e Yang, chineses, com o apoio do governo da China, promete levar de novo a tauromaquia à Ásia, onde nos anos 60 a 80 obteve elevada adesão de público.

A iniciativa, apresentada no dia 1 de deste mês na Herdade Monte Pintor, em Igrejinha, Arraiolos, pretende contribuir para o desenvolvimento turístico de Guizhou, e a tauromaquia estará presente com espetáculos de demonstração, onde a corrida de touros à portuguesa terá o seu espaço próprio.

O complexo com 86 hectares destina-se a mostrar a multiculturalidade de diferentes países e as demonstrações de toureio arrancam em maio, num complexo que conta com uma praça de touros com 32 metros de diâmetro e com bancadas com capacidade para 3.500 espetadores.

Os últimos espetáculos tauromáquicos na Ásia realizaram-se em Macau, em 1997, por iniciativa do cavaleiro tauromáquico Rui Salvador e do arquiteto José Pinto.

O complexo turístico terá casas de espetáculos vocacionadas para mostrar a cultura de diferentes países, como Portugal, Espanha, Brasil, México, Argentina, Marrocos e Índia.

“O que não há ainda na China é o touro bravo em si. Eles têm lá vários touros, eu já toureei vários touros, mas não têm a genética e a casta do touro bravo português. Nesta primeira fase, vamos fazer como na Califórnia, e não vamos sangrar o touro”, explicou Marco José.

O seu objetivo é contratar a “a curto prazo” toureiros portugueses para atuarem na China. A empresa detentora do complexo turístico elaborou um estudo de mercado, com o apoio do governo chinês, tendo verificado que este género de espetáculo poderá ser “uma mais-valia” junto do público.

O cavaleiro Marco José – filho de Francisco Coutinho, ex-presidente da Câmara da Batalha e atual membro da Assembleia Municipal da Batalha -, nasceu há 43 anos nas Caldas da Rainha, apresentou-se ao público como cavaleiro amador em 1985, na Batalha, e recebeu a alternativa de cavaleiro tauromáquico, a 6 de julho de 1995, na arena do Campo Pequeno, das mãos de Paulo Caetano. 

Apesar desta ligação à China, pretende continuar a tourear em Portugal.

 


NESTA SECÇÃO

Parlamento analisa estudo sobre redução do ruído

O estudo do Laboratório de Ruído e Vibrações que confirma a evolução positiva dos níveis do ...

Município cria manual de boas práticas na contratação

A Câmara Batalha anunciou no dia 2 deste mês, para “assinalar o primeiro ano do atual mandat...

Valorlis nos estabelecimentos a sensibilizar para a reciclagem

A Valorlis iniciou dia 1 deste mês a campanha de sensibilização ambiental denominada “Comérc...