Cavaleiro ligado ao concelho leva tauromaquia à China

O projeto turístico New Português Guizhou Pecuária, em que participam o cavaleiro tauromáquico Marco José, com ligações à Batalha, e os empresários Joaquim Rodrigues, de Leiria; Wang e Yang, chineses, com o apoio do governo da China, promete levar de novo a tauromaquia à Ásia, onde nos anos 60 a 80 obteve elevada adesão de público.

A iniciativa, apresentada no dia 1 de deste mês na Herdade Monte Pintor, em Igrejinha, Arraiolos, pretende contribuir para o desenvolvimento turístico de Guizhou, e a tauromaquia estará presente com espetáculos de demonstração, onde a corrida de touros à portuguesa terá o seu espaço próprio.

O complexo com 86 hectares destina-se a mostrar a multiculturalidade de diferentes países e as demonstrações de toureio arrancam em maio, num complexo que conta com uma praça de touros com 32 metros de diâmetro e com bancadas com capacidade para 3.500 espetadores.

Os últimos espetáculos tauromáquicos na Ásia realizaram-se em Macau, em 1997, por iniciativa do cavaleiro tauromáquico Rui Salvador e do arquiteto José Pinto.

O complexo turístico terá casas de espetáculos vocacionadas para mostrar a cultura de diferentes países, como Portugal, Espanha, Brasil, México, Argentina, Marrocos e Índia.

“O que não há ainda na China é o touro bravo em si. Eles têm lá vários touros, eu já toureei vários touros, mas não têm a genética e a casta do touro bravo português. Nesta primeira fase, vamos fazer como na Califórnia, e não vamos sangrar o touro”, explicou Marco José.

O seu objetivo é contratar a “a curto prazo” toureiros portugueses para atuarem na China. A empresa detentora do complexo turístico elaborou um estudo de mercado, com o apoio do governo chinês, tendo verificado que este género de espetáculo poderá ser “uma mais-valia” junto do público.

O cavaleiro Marco José – filho de Francisco Coutinho, ex-presidente da Câmara da Batalha e atual membro da Assembleia Municipal da Batalha -, nasceu há 43 anos nas Caldas da Rainha, apresentou-se ao público como cavaleiro amador em 1985, na Batalha, e recebeu a alternativa de cavaleiro tauromáquico, a 6 de julho de 1995, na arena do Campo Pequeno, das mãos de Paulo Caetano. 

Apesar desta ligação à China, pretende continuar a tourear em Portugal.

 


NESTA SECÇÃO

Bombeiros comemoram 40 anos e enfrentam críticas com energia

As críticas ao sistema português de prevenção e combate, incluindo aos bombeiros, nomeadamen...

Executivo assinala seis meses de mandato

O executivo municipal assinalou no dia 23 de abril os seis meses de mandato com uma visita d...

Presidente da República elogia coragem histórica dos militares

Os soldados mortos na Batalha de La Lys e nas ex-colónias foram recordados pelo Presidente d...