Candidatos já lançam trunfos no tabuleiro das autárquicas

A candidatura do PSD à Câmara da Batalha anunciou que a sua lista às autárquicas de setembro “renova mais de metade dos candidatos” e alerta que “não é tempo para aventuras ou de regresso ao passado”.

Para André Loureiro, candidato a vice-presidente da câmara, “o PSD apresenta uma equipa de confiança, renovada e com experiência, fatores essenciais para enfrentar a exigência do próximo mandato autárquico”. “O tempo que vivemos não se compadece com aventuras ou opções do passado, são fundamentais lideranças forte e com competência, para aproveitar a nível municipal os fundos do Plano de Resiliência e Recuperação e assegurar a continuidade dos projetos de apoio social, no domínio da saúde e de promoção da economia local”.

A lista encabeça pelo atual presidente, Paulo Batista Santos, “pretende avançar para o próximo mandato com uma equipa renovada e fixando como objetivo manter a eleição de cinco em sete vereadores e reforçar a maioria de eleitos na assembleia municipal e assembleias de freguesia.”

O atual presidente da assembleia municipal e ex-diretor do Mosteiro da Batalha, Júlio Órfão, é o mandatário da candidatura. Na declaração de apresentação, referiu que conhece bem os candidatos escolhidos e recorda: “como professor, habituei-me a avaliar os alunos baseado, não em estados de alma ou simpatias, mas nos resultados. É desta mesma forma que perante a avaliação que faço das pessoas que integram as listas do PSD não hesito em garantir-lhe e manifestar o meu apoio”.

A candidatura divulgou, entretanto, oito desafios que constam do seu programa eleitoral: reforço do apoio às famílias e natalidade; acesso à habitação; saúde e bem-estar; desafios do desenvolvimento económico e da sustentabilidade ambiental; coesão social e territorial; a educação e o desenvolvimento humano; e ainda o desafio da inovação e do conhecimento.

Provedor da Santa Casa candidato

a vice-presidente pelo “Batalha é de Todos”

O Movimento Independente “Batalha é de Todos” apresentou as suas listas de candidatos à câmara e assembleia municipais e juntas de freguesia, com Carlos Agostinho Monteiro, provedor da Santa Casa da Misericórdia da Batalha e antigo vice-presidente município, eleito pelo PSD, como número dois de Raul Castro.

“Aceitei este desafio pelas pessoas que estão envolvidas e que acredito são a melhor solução para a Batalha. Sinto que existe a necessidade de mudarmos o paradigma da ação política. A Batalha tem de ser menos política e mais Batalha”, referiu o candidato.

“A nossa ação deve estar focalizada no apoio aos mais desfavorecidos, às jovens famílias com filhos, que necessitam de um projeto educativo robustecido e de uma ação social forte; em ações que promovam a reconversão profissional e a reintegração de desempregados; na adoção de novas medidas de combate ao isolamento dos mais idosos; no reforço dos cuidados primários de saúde; no rejuvenescimento do sistema de abastecimento público de água. E numa aposta essencial na modernização e instalação de novas infraestruturas de acolhimento empresarial, de modo a corresponder à força empreendedora já demonstrada pelos nossos empresários. Sem esse apoio, a nossa terra perde valor e os jovens não se fixam”, adiantou.

Já Raul Castro sublinhou que “as manifestações de preocupação dos Batalhenses sobre a gestão do município determinaram a convergência de vontades que deu origem a este Movimento Independente. Pessoas que não procuram cargos ou carreiras políticas e que assumem o desafio cívico de contribuir para melhorar a qualidade de vida dos Batalhenses”.

O mandatário, António Lucas, referiu que se a candidatura é um “regresso ao passado”, “trata-se de um passado do qual todos os batalhenses se devem orgulhar. “Eu quero um regresso ao passado naquilo que é o atendimento permanente, constante e de porta aberta da câmara para os cidadãos. Quero um regresso ao passado no que toca a despachar os licenciamentos de moradias num mês ou no máximo dois”.

“Iniciativa Liberal quer

devolver o poder às pessoas”

A Iniciativa Liberal apresentou os seus candidatos à câmara e assembleia municipais, “confiante na necessidade de uma alteração no modo de governar localmente e com o objetivo de devolver o poder às pessoas e de proporcionar as condições necessárias ao desenvolvimento económico e à criação e fixação de novas empresas no concelho”.

“Nas últimas décadas, o concelho cresceu e modernizou-se. Nasceram estradas e pavilhões desportivos, novos jardins, o turismo aumentou, mas faltou preparar o futuro! Os problemas dos batalhenses persistem hoje, mais do que nunca”, disse o candidato à câmara municipal, Dário Florindo.

“As maiorias que se eternizam no poder local tornam-se perigosas e perniciosas, deixam frequentemente os cidadãos à margem. Chegou a hora de colocar os batalhenses em primeiro. O governo da Batalha faz-se junto das pessoas, com as pessoas, mas não usando os batalhenses como instrumentos para propaganda política nas redes sociais. Isto não é governar, isto é ser influencer! Queremos um governo sério, tecnicamente capaz, que saiba ouvir os cidadãos e responder às suas necessidades”, adiantou.

Já o candidato à assembleia municipal, Ricardo Vala, pediu “a todos batalhenses que se envolvam no nosso projeto de futuro e desenvolvimento para a nossa terra”.

CDU contra “manobras políticas

e protagonismos pessoais”

A Coordenação Distrital de Leiria da CDU anunciou este mês que José Valentim é o cabeça de lista à Câmara da Batalha e Filomena Lima à assembleia municipal.

José Valentim é mecânico de profissão e dirigente sindical, sendo dirigente do STRUP / CGTP-IN, da União de Sindicatos do Distrito de Leiria e da Inter-reformados. Filomena Lima é Cozinheira. Foi empresária no ramo da restauração e é dirigente associativa.

A candidatura da CDU no Concelho da Batalha “tem como objetivo principal abrir campo a uma alternativa de esquerda e progressista num concelho onde o conhecido quadro de candidaturas e de manobras políticas caracterizadas por protagonismos pessoais é bem demonstrativa da necessidade de uma alternativa cujo único compromisso seja com os trabalhadores e a população”.

“A CDU assume como objetivos eleitorais o reforço da sua presença política no concelho nomeadamente com a eleição representantes para os órgãos autárquicos”, lê-se no comunicado da CDU.

Batalha no Coração

A lista do CDS “Batalha no Coração” apresentou a sua candidatura com a presença do presidente da Direção do CDS, Francisco Rodrigues dos Santos, acompanhado pelo vice-presidente, Pedro Melo, e pelos ex-presidentes do CDS Manuel Monteiro e José Ribeiro e Castro. O cabeça de lista é Horácio Moita Francisco, que criticou os “falsos independentes” que concorrem às eleições.


NESTA SECÇÃO

Hugo Borges é o novo comandante dos bombeiros

O novo comandante dos Bombeiros Voluntários da Batalha, Hugo Borges, tomou posse no dia 20 d...

Programa Ecovalor premia escolas da região que mais reciclaram

A administradora delegada da Valorlis, Marta Guerreiro, visitou o Centro Escolar dos Parceir...

Peregrinos dos Caminhos de Fátima também já têm uma credencial

A Credencial do Peregrino dos Caminhos de Fátima [semelhante à usada pelo peregrinos do Cami...