Batalha solidária como o povo de Moçambique

A Assembleia Municipal da Batalha aprovou um voto de solidariedade com o povo e as autoridades moçambicanas, afirmando que “foi com profunda consternação que assistimos às trágicas consequências da passagem do ciclone Idai, provocando centenas de vítimas mortais, milhares de feridos e um expressivo número de deslocados, assim como avultados prejuízos materiais”

“A dimensão da tragédia interpela-nos particularmente, porque se trata do povo irmão de Moçambique, país que acolheu e continua a acolher muitos portugueses, alguns dos quais batalhenses, que também sofrem com as consequências do ciclone”, afirmam os autarcas da Batalha.

A assembleia municipal decidiu ainda recomendar à câmara que, face à “dimensão da devastação e da tragédia humanitária que o ciclone provocou, e continua a causar, que o município se possa associar, na medida em que seja possível, ao projeto 'SOS Moçambique - Vamos todos ajudar', lançando pela Associação nacional dos Municípios Portugueses (ANMP)”.

Nesta altura, decorrem ainda muitos esforços das autoridades moçambicanas e da comunidade internacional para prestar auxílio às muitas vítimas e para repor o fornecimento de bens alimentares, água, medicamentos, energia e comunicações, em particular nas zonas mais afetadas pela catástrofe, referem os subscritores da proposta, apresentada pela bancada do PSD.

 


NESTA SECÇÃO

Elegia romântica das ilusões roubadas

Tropeçava no meu ego desalentado, numa demanda lapidar pela paixão que me abandonara naquele...

Valorlis lança “Eu Conto com a Reciclagem” com contos de alunos

A Valorlis assinalou o Dia Mundial do Ambiente, 5 de junho, com a apresentação nas redes soc...

Poluição suinícola da região chega à ONU

A Juventude Social Democrata do Distrito de Leiria (JSD Leiria) “tomou a ousadia de escrever...