Batalha solidária como o povo de Moçambique

A Assembleia Municipal da Batalha aprovou um voto de solidariedade com o povo e as autoridades moçambicanas, afirmando que “foi com profunda consternação que assistimos às trágicas consequências da passagem do ciclone Idai, provocando centenas de vítimas mortais, milhares de feridos e um expressivo número de deslocados, assim como avultados prejuízos materiais”

“A dimensão da tragédia interpela-nos particularmente, porque se trata do povo irmão de Moçambique, país que acolheu e continua a acolher muitos portugueses, alguns dos quais batalhenses, que também sofrem com as consequências do ciclone”, afirmam os autarcas da Batalha.

A assembleia municipal decidiu ainda recomendar à câmara que, face à “dimensão da devastação e da tragédia humanitária que o ciclone provocou, e continua a causar, que o município se possa associar, na medida em que seja possível, ao projeto 'SOS Moçambique - Vamos todos ajudar', lançando pela Associação nacional dos Municípios Portugueses (ANMP)”.

Nesta altura, decorrem ainda muitos esforços das autoridades moçambicanas e da comunidade internacional para prestar auxílio às muitas vítimas e para repor o fornecimento de bens alimentares, água, medicamentos, energia e comunicações, em particular nas zonas mais afetadas pela catástrofe, referem os subscritores da proposta, apresentada pela bancada do PSD.

 


NESTA SECÇÃO

Covid-19: Número de vítimas mortais sobe para oito na Batalha

O número de pessoas falecidas no concelho da Batalha com Covid-19 aumentou para oito nas últ...

Covid-19: Concelho esteve quatro dias em recolher obrigatório noturno

O Concelho da Batalha esteve quatro dias em recolher obrigatório noturno – e escapou à tange...

Aprovados concursos públicos para pavilhão e ciclovia

A câmara municipal aprovou em outubro a abertura de concursos públicos relativos aos projeto...